A diretoria do Sindipetro-NF realizou uma setorial na manhã desta quarta, 4, com os trabalhadores da UTGCAB para definir propostas da categoria de compensação dos dias de Carnaval. Dessa reunião saíram duas propostas que serão encaminhadas ainda hoje para a direção da empresa.

Proposta 1 de compensar nos dias 10, 12, 17 e 19 de abril de 2018, realizando a mais uma hora em cada um dos dias, sempre no final do expediente. Proposta 2 de compensar nos dias 9, 10, 11 e 12 de abril de 2018, sendo uma hora a mais em cada um dos dias, também no final do expediente.

A empresa havia definido de forma unilateral como seria a compensação dos dias de Carnaval, mas a proposta da empresa desagradou a categoria. Por isso o NF enviou ofício à empresa solicitando adiamento da decisão da compensação e foi aceita pela gestão. 

Nesta setorial, o NF e os trabalhadores debateram a conjuntura nacional, que incluiu a indicação de um representante da Shell para o Conselho Administrativo da Petrobras. A categoria mostrou que não aceitará facilmente essa decisão. 

E também falaram sobre as arbitrariedades colocadas no Balanço Financeiro da empresa, entre elas a antecipação de 10 bilhões em impostos para o Governo Federal e o pagamento de 11 bilhões para os investidores americanos, após uma decisão em primeira instância. 

As setoriais continuam essa semana. Veja calendário:

Cabiunas Setoriais

Quarta 15h - Grupo C
Quinta 07h - Grupo E
Quinta 23h - Grupo A
Sexta 23h - Grupo B

Rádio Democracia - O comando das armas já deu seu recado em tom ameaçador na voz de Willian Bonner, uma ameaça direta do exercito para a prisão de Lula.

Agora falta o recado da resistência do povo. Este recado se dará a partir do resultado da votação do HC do ex-presidente Lula no Supremo Tribunal Federal.

O grito das ruas em defesa da democracia não se vê na mídia golpista. Este grito será mostrado pelo próprio povo na Rádio democracia.
Será uma grande rede com mais de 800 rádios comunitárias, Rádios Livres e Rádios Webs, com correspondentes diretos de várias localidades do país, inclusive do local onde Lula se encontra.

A resposta a intimidação dos golpistas será dada em alto e bom som pelas rádios comunitárias do Brasil em defesa da Democracia.
Nossa cobertura será feita á partir das 14 Horas, com informações diretas de Brasília, de São Bernardo do Campo e dos locais onde acontecerão manifestações em todo o pais.

Acompanhe a transmissão pelo nosso site á partir das 14 horas pelo seguinte endereço:

www.radiodemocracia.net.br, ou baixe nosso aplicativo pelo link: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.livecast.stm.radiodemocracia

 

Os trabalhadores da Expro participaram ontem, 3, de uma assembleia na porta da empresa, convocada pelo Sindipetro-NF para avaliar o ACT 2017/2019. As negociações com a Expro começaram em outubro do ano passado.

Com data base em maio, o processo negocial foi lento porque a empresa estava com uma pauta muito rebaixada, querendo implementar tópicos da Reforma Trabalhista.  

O Acordo foi aprovado e traz avanços nos Tickets de Alimentação e Refeição e reposição salarial de 3,6% retroativa a maio de 2017.

Rede Brasil Atual - Nesta quarta-feira (4), quando será votado o pedido de habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo promoverão ato público na área em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília. A manifestação iniciará sua concentração às 12h. "Vamos ocupar a Praça dos Três Poderes e exigir que permaneça a liberdade para nosso presidente. Nós entendemos que defender lula é defender um país com direitos trabalhistas, um país com garantia de aposentadoria, com justiça e igualdade social para todos", afirma Rodrigo Britto, presidente da CUT Brasília, em entrevista à TVT.

São esperadas cerca de 20 mil pessoas no local, que também receberá manifestantes contrários à concessão do habeas corpus para Lula. Apesar disso, a organização entende que a mobilização deverá ser pacífica do início ao fim e que é preciso ignorar qualquer tipo de provocação. "O direito de liberdade de manifestação tem que ser garantido. A nossa orientação para todos que vierem defender o presidente Lula é não cair em provocações. O que querem é banalizar e criminalizar o nosso movimento", acrescenta Rodrigo.

Em São Paulo, a CUT mais movimentos populares e partidos que compõem a Frente Brasil Popular realizarão marchas que sairão de bairros da periferia até centros comerciais das quatro regiões da capital. De acordo com a central, as ações têm o objetivo de dialogar com a população para fazer "chegar a verdade" sobre o julgamento político de Lula.

lula frente brasil popular

"Vamos dialogar com os trabalhadores e trabalhadoras e esclarecer que defender a garantia da liberdade de Lula é defender a democracia, é defender a presunção de inocência de todos os brasileiros e brasileiras", afirma o presidente nacional da CUT, Vagner Freitas.

Outras capitais também estarão mobilizadas. Em Belo Horizonte, a Frente Brasil Popular promove ato às 17h, na Praça Afonso Arinos, no centro da cidade. Já em Florianópolis, a concentração está prevista para as 13h, em frente à sede da Justiça Federal de Santa Catarina.

Em Porto Alegre, será feita uma vigília, a partir das 12h, na Esquina Democrática (cruzamento da Avenida Borges de Medeiros com a Rua da Praia). No mesmo local está previsto um ato às 17h. 

Confira a lista com as mobilizações por todo o Brasil em defesa da democracia:

ALAGOAS
Maceió
14h - Praça Deodoro

AMAZONAS
Manaus
13h - em frente ao Tribunal Regional Eleitoral de Manaus

BRASÍLIA
03/03 (terça-feira)
17h - panfletagem na Rodoviária
19h - Atividade no Museu da República 

04/04 (quarta-feira)
12h - Teatro Nacional, lado norte da Esplanada dos Ministérios
13h - caminhada sentido Congresso Nacional, na Alameda das Bandeiras, onde acompanharão o julgamento até o final

BAHIA
Salvador 
03/04 (terça-feira) 
Carreata #LulaLivre
16h - concentração Vale do Canela, com caminhada pelo Vale do Canela até o Subúrbio, com encerramento na Praça da Revolução (Periperi) com ato político cultural. Panfletagens na Lapa, Iguatemi, Estação Mussurunga e Acesso Norte

04/04 (quarta-feira) 
Ato Político #LulaLivre
13h – concentração Fórum Rui Barbosa (Campo da Pólvora)
Pela manhã, haverá ato do Sindicato dos Advogados com saída da OAB até o Fórum Rui Barbosa e ato da APUB saindo da UFBA até o Fórum.

CEARÁ
Fortaleza
15h – Praça da Bandeira (centro)

Cariri
10h - Praça Siqueira Campos (centro do Crato)

MARANHÃO
São Luís
8h - Praça Joãozinho Trinta

MATO GROSSO
Cuiabá
13h - Vigília e ato político na Praça Alencastro

MATO GROSSO DO SUL 
Campo Grande 
16h – esquina da Rua 14 de julho com a Rua Afonso Pena (centro)

MINAS GERAIS 
Belo Horizonte
03/03 (terça-feira)
17h - Praça Afonso Arinos - Vigília Democrática Lula Livre

04/04 (quarta-feira) 
17h - Praça Afonso Arinos - Ato pela Democracia e #LulaLivre 

PARÁ
Belém 
15h – Praça da República, ao lado do bar do Parque

PARAÍBA
João Pessoa
16h - Praça da Paz

PERNAMBUCO
Recife 
14h - Câmara de Vereadores do Recife

PIAUÍ
Teresina 
7h - Av. Miguel Rosa, próximo ao HUT, em frente ao Tribunal de Justiça

RIO GRANDE DO NORTE
Natal
15h - Calçadão da Av. João Pessoa

RIO GRANDE DO SUL
Porto Alegre
12h – Vigília – Esquina Democrática 
17h30 – Ato político

RONDÔNIA
Porto Velho 
18h - sede do PT estadual (centro)

SANTA CATARINA
Florianópolis
13h - Beira Mar Norte

SÃO PAULO
Capital
03/04 (terça-feira)
Panfletagens e diálogo com a população

Itaquera
7h - centro de Itaquera

Artur Alvim
18h – em frente estação de metrô

Guaianazes
18h – em frente estação CPTM Guaianases 

Itaim/São Miguel 
5h – em frente estação CPTM Itaim Paulista

Cidade Tiradentes
17h - em frente ao terminal de ônibus (próximo ao supermercado Extra)

São Mateus 
11h – Av. Mateo Bei em frente à loja Marisa 

Sapopemba
17h – Largo do Grimaldi

Vila Matilde
19h – Metrô Vila Matilde

Penha 
6h30 - Metrô Patriarca

Vila Prudente 
7h - Terminal Vila Prudente

Tatuapé 
Metrô Tatuapé (esquina do estacionamento na rua Tuiuti) 

Mooca
6h - Estação de trem CPTM 

Zona Sul – Capela do Socorro
16h - Largo do Socorro 

Jabaquara - Comitê Paulista
17h - Metro Jabaquara

Freguesia do Ó/Brasilândia/Casa Verde/Pirituba 
7h/17h30 - Terminal Vila Nova Cachoeirinha

Centro 
17h - Praça da República (em frente ao Caetano de Campos) 

Butantã 
17h - em frente ao Metro

Perus
16h30 – em frente estação da CPTM

Saúde/Ipiranga
17h - Terminal Sacomã

Santana
18h - metrô Santana (concentração 17h30 na Rua Darzan, 356)


04/04 (quarta- feira)
LESTE 1 e 2 
14h - Metro Itaquera - Atividade com carro de som

Freguesia do Ó/Brasilândia/Casa Verde/Pirituba 
7h - Terminal Vila Nova Cachoeirinha

Vila Prudente 
Pela manhã marcha e caminhada pela Comunidade da Prosperidade, Vila Califórnia, Vila Alpina e Vila Prudente.

Mooca
6h - Estação de trem CPTM

Campo Limpo/M'Boi Mirim
7h - Metrô Capão Redondo

Vila Maria
16h30 - haverá passeata, com concentração na Rua Manguari, 250 - Parque Novo Mundo

Bauru
17h - em frente à Câmara Municipal

Registro 
16h - concentração na Praça do Skate da Beira Rio

Ribeirão Preto
17h - Esplanada do Pedro II, no calçadão central da cidade

São Bernardo do Campo 
03/04 (terça-feira)
5h - panfletagem nos terminais de ônibus
14h - Vigília em frente ao prédio do ex-presidente Lula. Concentração na Rua Tapajós, 3 (próximo ao terminal de trólebus São Bernardo)

04/04 (quarta-feira)
9h - Plenária no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - Rua João Basso, 300

São Caetano do Sul 
16h - Rua Municipal esquina com Rua Heloísa Pamplona

Sorocaba 
7h - panfletagem pela região central da cidade

O baixo efetivo de operadores em P-09 tem preocupado a categoria a bordo. Os relatos dos trabalhadores são de que a plataforma continua a operar com um único operador na planta de óleo, um no gás e outro no PLC no turno do dia e da noite. Existem alguns operadores a bordo, mas como estão em primeiro embarque não tem conhecimento para operar a planta.  
 
Também contam que há operadores em treinamento, mas a gerência ignora esse fato e também não embarca operadores com experiência, para suprir o efetivo de bordo.
 
Além do clima de insegurança por conta do baixo efetivo, os trabalhadores reclamam da falta de diálogo entre a gerência da unidade e a categoria. O que tem prevalecido é aquilo que o chefe manda fazer. Há a suspeita inclusive de determinar serviços sem PT. 
 
Uma reunião da CIPA chegou a ser adiada pela gerência, por querer priorizar a produção. O contingente está tão reduzido que o operador que também é cipista não consegue dispor de um mínimo de tempo, fora de suas atividades, para poder participar da reunião.
 
O projeto do governo golpista de denegrir a imagem da Petrobras, passa pela redução do efetivo e a falta de manutenção das unidades. Essas atitudes irresponsáveis geram insegurança entre os trabalhadores e coloca vidas em risco. A diretoria do NF reforça a importância dos trabalhadores continuarem encaminhando suas denúncias ao sindicato, através do e-mail:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .
 

Imprensa da FUP -  Desde segunda-feira, 02, o Plano Petros do Sistema Petrobrás, mais conhecido como PP-1, já está dividido em dois planos: o PPSP-R, que reúne os participantes e assistidos que repactuaram e o PPSP-NR, voltado para os não repactuados.

A cisão do PP-1 foi aprovada pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) em 15 de fevereiro de 2018, por meio da Portaria 139, publicada no Diário Oficial da União no dia 19 de fevereiro de 2018, e está sendo, finalmente, implementada pela Petros, após anos de reivindicações da FUP, que sempre defendeu a divisão das massas do Plano Petros-1, por não considerar justo, nem ético que 75% dos participantes e assistidos que repactuaram e impediram a insolvência do plano sejam penalizados pelas ações dos que não repactuaram.

A cisão já havia sido aprovada pelo Conselho Deliberativo da Petros em 2013 e, desde então, aguardava definição da Previc. Após as adequações para atender a determinações do órgão fiscalizador, a divisão foi realizada levando em conta as duas submassas do plano, garantindo regras claras e maior segurança jurídica para todos os participantes e assistidos.

Rever o equacionamento

A cisão do PP-1 é um fato relevante que, de acordo com a atual legislação, justifica o adiamento do abusivo plano de equacionamento que as gestões da Petros e da Petrobrás estão impondo aos participantes e assistidos. Na Ação Civil Pública que a FUP move desde setembro do ano passado para suspender o equacionamento do PP-1, um dos principais pontos questionados é justamente o fato da Petros não ter levado em consideração as submassas de repactuados e não repactuados.

Todos por uns?

Grande parte do déficit do Plano Petros-1 são contingências judiciais causadas pelas ações que os participantes e assistidos movem contra a Petros, que já impactam negativamente o plano em pelo menos R$ 4 bilhões. Soma-se a isso o significativo aumento do passivo do PP-1, decorrentes da revisão dos benefícios que poderá ocorrer, em função dessas mesmas ações judiciais. A maior parte desse contingente é decorrente de ações movidas pelos não repactuados, cobrando correção de seus benefícios com base na RMNR e no PCAC.

“Sem a cisão, todos os participantes e assistidos, indiscriminadamente, teriam que bancar essa conta, o que não é correto. Das diversas ações judiciais já executadas contra o Plano Petros-1, com impacto bilionário, a Petrobrás e demais patrocinadoras foram condenadas a ressarcir apenas R$ 800 milhões. Por isso, é questão de justiça que os repactuados fiquem separados em outro plano para não terem que arcar com encargos que só beneficiariam os que não repactuaram”, ressalta Paulo César Martin, representante dos trabalhadores no Conselho Deliberativo da Petros.

O Sindipetro-NF recebeu a informação da categoria que a Petrobras fez descontos nos contracheques dos trabalhadores, por conta da greve realizada nos dias 19 e 20 de fevereiro.

Para a diretoria do NF, os descontos fazem parte de mais uma atitude política da empresa, que abraçou a agenda golpista e que ataca os trabalhadores e trabalhadoras a qualquer custo. Vale relembrar, que a Bacia de Campos viveu, nos tempos em que o Brasil vivia uma democracia, greves mais fortes que não penalizaram a categoria.

Além disso, a vontade de prejudicar os trabalhadores foi tão afoita que a gestão da empresa cometeu diversos erros dentro da própria premissa do desconto: existem trabalhadores que tiveram três dias descontados de uma greve que durou apenas dois dias, e pessoas que só participaram um dia e foram descontados dois dias e ainda, outras que não participaram e foram descontadas.

A diretoria do NF e o departamento jurídico estudam as estratégias para agir contra os abusos cometidos. Por isso é importante que todos que sofreram descontos encaminhem o contracheque com desconto e o relatório de frequência do mês de fevereiro para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Por fim, a categoria que participou dessa greve deve ter a certeza que ela lutou por uma causa que é de toda nação, diferente daqueles que não participaram e vão se beneficiar dessa luta. Essa greve foi essencial para ajudar a derrotar a Contrarreforma da Previdência e foi muito importante para a abrir caminho para a difícil luta pela RSR (horas extras justas), apesar de termos perdido no TST.

Imprensa da CUT - Mulher negra, cabocla, ribeirinha, camponesa e do Amazonia, Carmen Foro, vice-presidente da CUT, é uma das mulheres homenageadas pela ONU Mulheres, dentro da campanha #OTempoÉAgora.

No último sábado (31), Carmen teve sua foto estampada na página do Facebook da ONU Mulheres no Brasil e nesta segunda (02) a homenagem foi espalhada no Instagram e no Twitter da entidade por ser um das principais ativistas pelos direitos das mulheres do campo, das florestas e das águas e pela sua ação determinada pela igualdade de gênero.

 

A campanha, que teve início em 6 de março é uma das atividades da ONU Mulheres programadas para comemorar o Dia Internacional da Mulher que se estenderá durante o mês de abril. A ideia é expor as principais áreas do ativismo, com destaque para reivindicações feministas e o reconhecimento de brasileiras que têm atuado para o empoderamento das mulheres, fazendo a conexão com a mensagem global da ONU Mulheres: “#OTempoÉAgora – ativistas rurais e urbanas transformam a vida das mulheres”.

 “O #TempoÉAgora tem conexão com a urgência de transformações evocada pela Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável ao trazer a urgência de que agora é o momento de fazer mudanças estratégicas, investir e articular transformações políticas estruturais para a inclusão das mulheres e a garantia dos seus direitos humanos”, explica Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres.

Carmen fez um post de agradecimento no mesmo dia, também pelo Facebook, onde ressaltou a luta coletiva.

Carmen, que também é suplente da secretaria de mulheres da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG), foi secretária da Mulher Trabalhadora na CUT e coordenou a Marcha das Margaridas por duas vezes, em 2007 e 2011. Ela destaca que a Marcha das Margaridas, que começou em 2000 e acontece de quatro e quatro anos, é a maior mobilização da luta coletiva das mulheres do campo, das águas e das florestas e que só nos governos populares tornou-se visível e vitoriosa.

“Conquistamos a obrigatoriedade de titulação conjunta no acesso à terra, Política Nacional de Documentação Civil- nenhuma mulher rural sem documento, o Pronaf Mulher, a Política Nacional de Saúde para a população do campo e da floresta, a Política de enfrentamento à violência contra as mulheres, com a implantação de 54 unidades móveis com serviços de atendimento, Política Nacional de agroecologia, entre outras pautas”, contou Carmen.

Para Carmen a homenagem da ONU Mulheres reconhece a luta e as conquistas das mulheres do campo, das águas e das florestas, mas ao mesmo tempo demonstra os imensos desafios no próximo período, “que não são poucos”, complementa ela.

“Além de reconquistar a democracia, teremos que recompor a visibilidade e o protagonismo das mulheres no desenvolvimento rural sustentável do nosso país”, finaliza a vice-presidenta da CUT.

Neste momento em que a Petrobrás e o setor petróleo enfrentam, no Brasil, uma crescente redução de efetivo, o sucateamento das instalações, o abandono de políticas de segurança no trabalho e a validação, pelo Ministério do Trabalho, da realização à distância de cursos previstos em Normas Regulamentadoras, o Sindipetro-NF considera especialmente importante que a categoria petroleira priorize o tema e participe do Seminário de SMS/Cipa, que está com inscrições abertas.

O evento, entre os dias 10 e 12 de abril, na sede do Sindipetro-NF em Macaé, é destinado a todos os trabalhadores e trabalhadoras, independentemente de fazerem parte de Cipas. Para se inscrever, é necessário preencher a ficha de inscrição disponível no site do sindicato.

Aqueles que moram fora da região terão direito a hospedagem, transporte e alimentação. Mais informações podem ser solicitadas pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Programação

Terça - 10/04
18h - Mesa de abertura - Conjuntura política
Quarta - 11/04
09h às 12h - Mesa: Curso de CIPA na prática. Das NRs aos acordos coletivos.
13h as 17h - Mesa: PPRA e PCMSO. Identificação de perigos, classificação de riscos e monitoramento da saúde.
Quinta - 12/04
09h às 12h - Mesa: O golpe na saúde mental. O impactos das contrarreformas na saúde do trabalhador(a).
13h às 16h - Mesa: Visões, estratégias e táticas de prevenção da categoria petroleira.



 

O Sindipetro-NF foi informado pelos trabalhadores da UTGCAB que a empresa definiu de forma unilateral como será a compensação dos dias de Carnaval, sem conversar com o sindicato ou a categoria. A proposta da empresa é que a partir do dia 4 de abril, sejam trabalhados mais 15 minutos por dia para compensar esse período, o que também atrasaria a saída dos ônibus.

A compensação dos dias de Carnaval nos meses de março e outubro está estabelecida no Acordo Coletivo, mas deve se conversada com os trabalhadores. Essa decisão desagradou a categoria que afirma querer sugerir novas propostas.

O NF enviou ofício à empresa solicitando adiamento da decisão da compensação e foi aceita pela gestão. Para debater a compensação e outros assuntos de interesse dos trabalhadores da UTGCAB, o Sindipetro-NF convoca reuniões setoriais a partir desta quarta, 7h, no portão da empresa.

Cabiunas Setoriais

Quarta 07h - Adm + Grupo D
Quarta 15h - Grupo C
Quinta 07h - Grupo E
Quinta 23h - Grupo A
Sexta 23h - Grupo B

Rede Brasil Atual - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva,  o pré-candidato à Presidência pelo Psol, Guilherme Boulos, o deputado estadual também do Psol Marcelo Freixo (RJ) e a pré-candidata pelo PCdoB, Manuela d'Ávila, estarão juntos, na noite de hoje (2) em um ato suprapartidário – e que inclui o PDT – em defesa da democracia, contra o fascismo e a violência como formas de expressão política,  e por justiça para Marielle Franco e Anderson Gomes, executados no dia 14 de março, no centro do Rio. O protesto será no Circo Voador, na Lapa, região central, a partir das 18h.

Será mais uma manifestação promovida em conjunto pelos principais partidos da esquerda brasileira, desde o assassinato da ex-vereadora do Psol e do motorista do carro que a levava para casa, após participar de um encontro de mulheres negras. Após o atentado da semana passada, contra ônibus da comitiva que acompanhava Lula pelos estados do Sul, Boulos e Manuela foram até Curitiba participar do ato de encerramento da caravana e expressar repúdio ao fascismo e à intolerância.

"Essas violências não dividem a sociedade entre a direita e a esquerda, mas entre democracia e barbárie. Todas as vidas têm o mesmo significado! Temos diferenças políticas, que são fundamentais e devem ser debatidas, mas o fascismo tem que ser combatido por todos nós", afirmou Freixo, ao defender, na semana passada, a unidade da esquerda contra o fascismo no país, diante da execução de Marielle e os tiros contra Lula. Ele destacou também que o Rio já teve 30 policiais mortos em 2018, além das muitas vítimas entre a população civil, especialmente negros e pobres.

Segundo a presidenta do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR), a extrema-direita quer ocupar espaço na política por meio do ódio e da intolerância. "Está mais do que na hora de a esquerda brasileira, junto com os movimentos sociais, se unirem e gritarem ao mundo o que está acontecendo no Brasil. Nós não queremos retrocesso e é por isso e com esse objetivo que nós vamos estar reunidos no Rio de Janeiro em um grande ato nacional suprapartidário exatamente para enfrentar as forças do atraso."

"É muito preocupante essa violência porque demonstra na prática o que denunciamos há muito tempo, que essas organizações são fascistas e defendem o extermínio físico de quem pensa diferente. Vivemos um tempo em que esses setores saíram do armário com suas pedras, seus relhos, mas muito legitimados e amparados pelo poder estatal e é isso que mais preocupa. É uma escalada de violência simbólica e real contra o nosso campo", afirmou Manuela, em entrevista à revista CartaCapital.

O ato de hoje também defenderá o direito de Lula ser candidato nas eleições presidenciais de outubro e vai reafirmar a defesa da democracia, ao repudiar a condenação do ex-presidente sem provas, nos processos contra ele no âmbito da operação Lava Jato. habeas corpus de Lula será votado nesta quarta-feira (4) pelos ministros do Supremo Tribunal Federal.

Durante a manifestação será ainda realizado o lançamento carioca do livro Luiz Inácio Lula da Silva – A Verdade Vencerá. Publicado pela editora Boitempo, o livro traz a visão do ex-presidente sobre a perseguição judicial que tem como alvo impedir sua candidatura.

Por Caroline Scotti Vilain*

Findada a etapa marítima da 15ª rodada com 22 dos 47 blocos arrematados, com um bônus total de R$ 8,0 bilhões. Ao todo, 12 empresas participaram de ofertas vencedoras, das quais 10 estrangeiras e duas brasileiras (Petrobras e QGEP). Segundo a Brasil Energia, o maior bônus ofertado foi de R$ 2,8 bilhões, no consórcio vencido pela ExxonMobil (40%), QPI (30%) e Petrobras (30%) no bloco C-M-789, na Bacia de Campos. Não houve ofertas para os blocos terrestres oferecidos.

Desta vez, a formação de consórcios e a diversificação de operadoras marcaram a rodada. Petrobras, Shell e ExxonMobil se revezaram em alguns consórcios como operadoras e não operadoras. A ExxonMobil participou oito consórcios vencedores, sendo seis como operadora. A Petrobras e a Wintershall arremataram sete blocos, mas a estatal brasileira ficou como operadora em cinco deles e a alemã em quatro. A Statoil, a QPI Brasil, a Chevron e a Shell estiveram em quatro consórcios vencedores,.. ExxonMobil, Murphy e Queiroz repetiram a parceria da rodada anterior. Somente a ExxonMobil, a Petrobras e a Statoil foram responsáveis por 76% (cerca de 6,1 bilhões dos 8 bilhões) da arrecadação obtido mediante os bônus de assinatura. A ExxonMobil retornou aos leilões depois de uma ausência na 3a rodada do pré-sal e a Petrobras manteve seu papel de “puxar” a entrada de novas parceiras em áreas promissoras, neste caso da Bacia de Campos. O caso da Statoil, por sua vez, tem merecido uma atenção especial.

A norueguesa não atuou como operadora nesta rodada e as quatro áreas arrematadas pela empresa na Bacia de Campos demonstram uma tendência de continuar investindo em blocos vizinhos a concessões que já opera. Segundo a Brasil Energia, Anders Opedal, presidente da Statoil no Brasil, afirmou que a companhia olha para o país no longo prazo e destacou o bom ambiente regulatório, qualidade dos reservatórios e competência da indústria fornecedoras como diferenciais do país. “’Isto fortalece nossa posição em Campos, onde já temos licenças em Peregrino, Roncador e no BM-C-33 (Pão de açúcar)’, afirmou Opedal. Opedal destacou o conhecimento da Petrobras na geologia brasileira e a experiência da Exxon em águas profundas como diferenciais na escolha dos parceiros. De acordo com o executivo, a partir de agora a companhia norueguesa começará a avaliar a possibilidade de participar da 4ª rodada de partilha. ‘O Brasil está se tornando mais importante na nossa estratégia e já é uma das nossas três áreas chave’, concluiu.”

Embora não tenha sido o principal destaque do leilão, a participação da Statoil é mais um movimento da entrada sistemática da empresa norueguesa nas licitações realizadas pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) nas áreas offshore do Brasil. A Statoil já havia ingressado na 3a rodada do leilão de partilha na oferta vencedora no bloco situado no campo Norte de Carcará. Antes disso, a norueguesa já comprado da Petrobras 66% da participação do bloco BM-S-8 na Bacia de Santos. Essas ações somadas às aquisições da 15a rodada colocam-na numa posição relevante nas áreas de Peregrino, Roncador e Carcará.

Além da participação nas licitações, a Statoil já deu início à campanha de perfuração no campo de Carcará, localizado na Bacia de Santos, no último dia 17 de fevereiro. O teste de produção deve se estender ao longo de março e está prevista também a perfuração de um poço exploratório em Guanxuma.

A avaliação da Zag Consultoria é de que as reservas em Carcará sejam muito maiores do que a estimativa feita para venda, uma vez que os reservatórios se encontram acima de um vulcão antigo, cujas rochas fraturadas poderiam ter ainda mais óleo. Além disto, este seria um petróleo de excelente qualidade, diferenciando-se de outras acumulações do pré-sal.

Na E&P foi publicada uma notícia afirmando que este campo era o “Johan Sverdrup” brasileiro. Este é o nome de um dos cinco maiores campos de petróleo na Noruega, estimado em conter entre 2 e 3 bilhões de barris de petróleo recuperáveis na área. As estimativas para Carcará eram de 2 bilhões. Somente na exploração de Johan, 14 mil pessoas já foram contratadas para a fase 1 do projeto no mundo todo e este será um dos principais projetos industriais na Noruega, gerando receitas para o estado, emprego e renda.

Esta foi a primeira vez que a Statoil atuou como operadora em campanha no pré-sal. Esta primeira experiência tem duração prevista de três a cinco meses com possibilidade de extensão de afretamento em até um ano e meio.

Para esta primeira campanha, a sonda West Saturn foi contratada, vinda da Espanha. A empresa que está locando o navio-sonda é a Seadrill. Também norueguesa, a empresa atualmente opera em Londres com atividades físicas no Bahamas. Uma de suas subsidiárias foi acusada em 2015 pela Petrobrás de processos ilícitos na locação de uma sonda em 2005.

A importância desta notícia está ligada, primeiramente, ao uso do Brasil como plataforma para internacionalização das companhias Norueguesas, assunto que já foi tratado por Rodrigo Leão, pesquisador do INEEP,  na Carta Capital. A Statoil já figura como a terceira maior exploradora e produtora de petróleo no país. Enquanto estas empresas procuram investir no pré-sal e no pós-sal brasileiros, a Petrobras está se desfazendo de diversos ativos valiosos para sua carteira.

Em que pese o fato a atuação da Petrobras ter sido importante para o sucesso de arrecadação nos leilões e também ter sido a empresa que mais blocos arrematou, a estratégia de venda de ativos da estatal brasileira contrasta com sua postura de venda de ativos.

Na realidade, a empresa tem focado cada vez mais sua atuação somente nas áreas do pré-sal e, ainda assim, de forma associada, isto é, realizando parcerias com empresas estrangeiras. Isso se deve, em primeiro lugar, a uma visão equivocada de desintegrar a atuação da Petrobras abrindo de vários ativos lucrativos. Tais ativos são uma espécie de “amortecedores” para momentos em que a baixa de preço do petróleo prejudicam os resultados do E&P. E, em segundo lugar, a politica do governo federal de acelerar os leilões dificultando uma participação mais agressiva da Petrobras e, com efeito, abrindo espaço para a entrada de empresas estrangeiras como a Statoil.

Enquanto a Noruega investe, a Petrobras desinveste entregando ativos seus valiosos a partir de estimativas baixas de reservas e com preços não condizentes com o mercado patrocinado por uma política de abertura do setor e aceleração dos leilões. Para além disto, deixa-se de gerar renda para o estado e empregos para os nacionais a fim de favorecer empresas estrangeiras que estão visando nossa matéria-prima. Fica a necessidade de se repensar a estratégia brasileira em torno do setor energético, um setor importantíssimo para o desenvolvimento nacional.

*Internacionalista (UFSC) e mestre em Relações Internacionais (UnB). Atualmente é pesquisadora do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (INEEP) da FUP e é consultora do Pacific Institute for Research and Evaluation (PIRE)

Pagina 6 de 770

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700