Os indicativos da Federação e sindicatos petroleiros estão sendo aprovados nas assembleias do Norte Fluminense a parcial da manhã desta quarta, 13, das assembleias inclui PCP-2, P-18 e P-35 somando um total de 27 plataformas e bases de terra que já votaram. Mais tarde será publicada uma nova parcial incluindo o resultado da assembleia de Campos. 

Veja parcial abaixo:

1 - Apr.  Termo Aditivo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 148 0 0
Edinc 20 0 1
Imbetiba 79 0 0
PT 29 0 0
PCE-1  22 1 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 34 0 0
PPG-1  25 1 0
PNA-1  25 1 0
PNA-2       
PCH-1  21 0 0
PCH-2  21 0 0
PCP 1/3       
PCP 2  10 0 0
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  13 0 0
P-08  28 0 0
P-09       
P-12  7 0 0
P-15       
P-18  33 0 0
P-19  27 0 0
P-20  22 0 0
P-25       
P-26  18 0 0
P-31  26 0 0
P-32  24 0 0
P-33  25 0 0
P-35  18 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  30 0 0
P-47       
P-48  32 0 0
P-50  18 0 0
P-51 13 0 0
P-52  29 0 0
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 19 0 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  12 0 0
Total 887 3 1

 

02 - Desconto Assistencial
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 104 35 9
Edinc 20 0 1
Imbetiba 66 4 9
PT 22 5 2
PCE-1  22 1 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 33 1 0
PPG-1  14 12 0
PNA-1  19 6 1
PNA-2       
PCH-1  19 1 1
PCH-2  4 17 0
PCP 1/3       
PCP 2  3 6 1
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  9 4 0
P-08  4 24 0
P-09       
P-12  4 3 0
P-15       
P-18  32 1 0
P-19  24 2 1
P-20  19 3 0
P-25       
P-26  1 16 1
P-31  26 0 0
P-32  14 10 0
P-33  22 3 0
P-35  17 0 1
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  29 1 0
P-47       
P-48  29 3 0
P-50  18 0 0
P-51 3 10 0
P-52  28 0 1
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 16 3 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  7 5 0
Total 687 176 28

 

 

03 - Apr. Estado Assembleia permanente
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 144 0 4
Edinc 21 0 0
Imbetiba 78 0 1
PT 29 0 0
PCE-1  23 0 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 33 1 0
PPG-1  26 0 0
PNA-1  25 0 1
PNA-2       
PCH-1  21 0 0
PCH-2  20 1 0
PCP 1/3       
PCP 2  10 0 0
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  13 0 0
P-08  28 0 0
P-09       
P-12  7 0 0
P-15       
P-18  33 0 0
P-19  27 0 0
P-20  22 0 0
P-25       
P-26  18 0 0
P-31  26 0 0
P-32  24 0 0
P-33  25 0 0
P-35  18 0 0
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  30 0 0
P-47       
P-48  32 0 0
P-50  17 0 1
P-51 12 1 0
P-52  29 0 0
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 19 0 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  12 0 0
Total 881 3 7

 

 

 

 

 

 

Diretores da FUP e do Sindipetro-NF participaram na manhã desta quarta, 13 , de um ato contra o anúncio da Petrobrás de privatização da Fafen/PR. O ato que aconteceu em frente à Araucária Nitrogenados reuniu centenas de trabalhadores e representantes de sindicatos petroleiros.

Petroleiros da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) fizeram uma caminhada simbólica até a entrada da Araucária para mostrar para a sociedade que a luta contra a privatização do Sistema Petrobrás é unificada.

O diretor do NF, Tadeu Porto, que participa do ato afirmou que a diretoria do Sindipetro-NF repudia a privatização da Fafen/PR. "Nós repudiamos com veemência a privatização porque o setor de fertilizantes é fundamental para a economia brasileira. A Petrobrás sair desse negócio representa mais uma vez perder a soberania nacional, porque se trata de um insumo importante para a agricultura e também a perda de um capital totalmente rentável que é a área de fertilizantes" - afirmou.

Além de Tadeu, representaram o NF no ato o Coordenador, Tezeu Bezerra, os diretores Guilherme Fonseca, Alessandro Trindade, e o Coordenador da FUP, Zé Maria. 

O anúncio da privatização

Na segunda, 11, a direção da Petrobrás emitiu comunicado anunciando à categoria petroleira o “processo competitivo para venda" da Araucária Nitrogenados (Fafen/PR) e da UFN-III (Fafen-MS). Segundo informações da Nota Oficial do Sindipetro-PR/SC, a Araucária Nitrogenados S.A (Fafen-PR) utiliza resíduo asfáltico da Repar para produzir até 1.303 toneladas por dia de amônia e 1.975 t/dia de ureia, além de 450 m³/dia do Agente Redutor Líquido Automotivo (ARLA 32), 200 t/dia de gás carbônico e 75 t/dia de carbono peletizado. Já a UFN-III (Fafen-MS), localizada na cidade de Três Lagoas, sequer entrou em operação. A construção foi paralisada em dezembro de 2014, quando estava com cerca de 80% do projeto concluído.

 

 

O Sindipetro-NF recebeu denúncia da ocorrência de dois acidentes nesta segunda, 11, na Bacia, com trabalhadores da empresa RIP, que presta serviços à Petrobrás. Um em P-47 onde um eletricista perdeu a falange dedo indicador da mão direita após realizar teste operacional em um ventilador. O trabalhador recebeu o primeiro atendimento na plataforma, sendo desembarcou direto para o Hospital Público Municipal Dr. Fernando Pereira da Silva (HPM), em Macaé, onde fez exames e depois foi operado. Esse trabalhador já recebeu alta.

O outro acidente aconteceu em PNA-2, com um mecânico, que teve ferimentos na mão direita, após ter desequilibrado e apoiado nas correias do ventilador onde concluia um delineamento de serviço. O mecânico recebeu o primeiro atendimento na plataforma, também foi desembarcado para avaliação no HPM, onde passou por cirurgia e foi liberado no mesmo dia.

Segundo informações da Petrobrás, os dois colaboradores passam bem. O NF obteve a informação que a Petrobrás suspendeu todos os serviços da RIP na Bacia. O Departamento de saúde está apurando mais informações, que serão divulgadas à categoria e deve participar da comissão para análise das causas dos acidentes.

O segundo depoimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao juiz Sérgio Moro será acompanhado de um ato político, em Curitiba, nesta quarta-feira, 13. Dirigentes da FUP e de seus sindicatos, que se encontram na capital paranaense para o seminário que debate estratégias de enfrentamento ao desmonte dos efetivos do Sistema Petrobrás, participarão da manifestação, que foi convocada pela Frente Brasil Popular.

O ato terá início às 15 horas, na Praça Generoso Marques e deve contar com a participação de Lula, ao final do depoimento que ao juiz da Lava Jato, onde se defenderá da acusação de supostamente ter recebido propina da construtora Odebrecht. O primeiro depoimento dele a Sérgio Moro ocorreu em maio, no âmbito da ação penal em que era acusado de receber um apartamento triplex da OAS. Na ocasião, cerca de 50 mil pessoas compareceram à Curitiba.

Acesse "Os 7 erros da sentença de Moro", documento protocolado pelos advogados de Lula no Tribunal Regional Federal do Paraná.

Tribunal julgará a Lava Jato

Enquanto Lula depõe no prédio da Justiça Federal, serão realizadas atividades culturais e uma aula pública sobre a operação Lava Jato. O jurista responsável pela aula será o ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão, que participou recentemente do chamado “Tribunal Popular da Lava Jato” em Curitiba. A atividade terá a presença do sociólogo Emir Sader e do senador Roberto Requião (PMDB-PR), entre outras lideranças políticas.

Aragão é crítico à forma como a operação tem sido conduzida, com base em exposição midiática, prisões preventivas e ataques ao amplo direito de defesa.

Os movimentos sociais articulados na Frente Brasil Popular concordam com esse ponto de vista crítico. Para Gustavo Erwin Kuss, a Jornada de Lutas pela Democracia é o momento para um balanço aprofundado das consequências da Lava Jato.

“A Lava Jato rasgou direitos e garantias individuais, além de destruir setores estratégicos para a economia. Foi parte do golpe [de Estado que retirou Dilma Rousseff da presidência] e é preciso que o povo saiba disso. A Jornada de Lutas é um bom momento pra falar disso com a população de Curitiba”, analisa.

Também na tarde desta quarta-feira, será lançado o livro “Comentários a uma sentença anunciada: o processo Lula”, pela editora Práxis e Instituto Declatra. O livro reúne artigos de juristas brasileiros que criticam as bases da sentença do juiz Sérgio Moro no “caso triplex”. Segundo eles, o ex-presidente foi condenado em primeira instância sem as devidas provas.

Crise econômica e alternativas

Além do aspecto cultural e da reflexão sobre o Judiciário, a segunda "Jornada de Lutas pela Democracia" conta com a participação de João Pedro Stédile, do MST e da Frente Brasil Popular, para falar do chamado “Plano Popular de Emergência”.

Na avaliação de Daiane Machado, integrante da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), o plano é a possibilidade de cada setor da população discutir suas pautas de forma mais ampla. “A produção e distribuição de energia elétrica se transformou em lucratividade para o capital internacional. Discutir um plano popular para o país é discutir também um projeto energético popular e assim garantir a soberania nacional”, afirma.

O plano construído pelos movimentos sociais e inclui medidas para combater o atual desemprego e falta de investimentos no país.

Com informações do Brasil de Fato e da Rede Brasil Atual

Imprensa da FUP - Nesta terça-feira, 12, a FUP e seus sindicatos realizam em Curitiba um seminário nacional para discutir estratégias de enfrentamento à redução dos efetivos no Sistema Petrobrás. O evento faz parte do plano de lutas aprovado no XVII Confup e conta com a participação de petroleiros de vários estados. O desmonte dos efetivos da empresa faz parte do processo de privatização e foi ampliado com a saída em massa dos petroleiros que aderiram aos últimos PIDVs, sem que houvesse reposição dos postos de trabalho.  A situação se agravou com o estudo de Organização e Métodos de Trabalho (O&M), que está sendo implantado nas refinarias, sem qualquer debate com os sindicatos ou sequer análises de risco.

O objetivo do seminário é debater os impactos da redução dos efetivos e as ações sindicais e jurídicas para se contrapor a esse desmonte, que está transformando as refinarias em fábricas de acidentes, pavimentando o caminho para a privatização das unidades.  A médica Leda Leal, pesquisadora aposentada da Fundacentro, que tem uma vasta experiência em processos de produção e segurança do trabalho na indústria de petróleo, criticou duramente o estudo da Petrobrás.  “Esse método está errado, do ponto de vista técnico e acadêmico. Qualquer proposta para efetivos tem que passar obrigatoriamente pela conversa com o trabalhador. Essa é uma questão que está no centro da organização do trabalho de uma empresa. Definir quem faz o quê”, afirmou.

O técnico do Dieese e assessor da FUP, Cloviomar Cararine, fez uma exposição sobre as mudanças no setor refino e os impactos para o país e os trabalhadores. Ele destacou que o próprio Plano de Negócios e Gestão da Petrobrás para o período 2017-2021 anuncia a estratégia da atual diretoria de reduzir a participação da empresa no setor de refino, o que já vem ocorrendo. Na contramão dos principais produtores de petróleo, o Brasil vem diminuindo drasticamente o refino e aumentando as importações de derivados. Apesar do país ter o oitavo maior parque de refino do mundo e o quinto maior mercado, a gestão da Petrobrás reduziu a carga de produção das refinarias, que estão atuando com 72% de sua capacidade, beneficiando as importadoras de combustíveis.

Já existem 379 empresas autorizadas pela ANP a importar derivados, como nafta, solventes, gasolina, asfalto, óleo diesel, biodiesel, óleo combustível, GLP, QAV, além do próprio petróleo. Um terço dessas empresas começou a operar no país a partir do ano passado. Ou seja, a redução dos investimentos em refino, através do sucateamento das plantas e do desmonte dos efetivos, está colocando em risco não só a soberania sobre um setor estratégico, como também a autossuficiência do país.

Cloviomar lembra que a gestão da Petrobrás já anunciou, inclusive, ao Ministério de Minas e Energia o compromisso com “a não garantia integral do abastecimento do mercado brasileiro por entender que, em sua lógica de negócios, há a previsão do ingresso de mais agentes para o atendimento total da demanda”, como revela o estudo do governo, Combustível Brasil.

O seminário prossegue na parte da tarde, com as assessorias jurídicas, as direções sindicais e os trabalhadores debatendo ações para enfrentar esse desmonte, que está diretamente associado à redução de efetivos. 

 

 

 

Até quarta, 13, o Sindipetro-NF realizará assembleias em suas bases. A última será às 10h, na sede de Campos, quando aposentados e trabalhadores da ativa poderão apreciar os indicativos da FUP e sindicatos petroleiros. Ontem chegaram atas de mais três plataformas e a base de Cabiúnas realizou assembleia às 23h.

A categoria petroleira segue aprovando o termo aditivo para barrar a Contrarreforma Trabalhista, desconto assistencial e assembleia permanente. As plataformas que não realizaram assembleias poderão fazer e encaminhar suas atas até 12h de quarta, 13. 

Indicativos:

1 - Aprovação do termo aditivo da FUP para barrar a contra reforma trabalhista.

2 - Desconto assistencial de 1% incididos na remuneração dos empregados ativos (salário básico e demais adicionais) e aposentados (Petros e INSS) nos meses de outubro, novembro e dezembro, sendo 0,5% para a FUP e 0,5% para o sindicato.

3 - Aprovação estado de assembleia permanente

 

Resultado das Assembleias até o momento (atualizada às 17h09)

 

1 - Apr.  Termo Aditivo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 148 0 0
Edinc 20 0 1
Imbetiba 79 0 0
PT 29 0 0
PCE-1  22 1 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 34 0 0
PPG-1  25 1 0
PNA-1  25 1 0
PNA-2       
PCH-1  21 0 0
PCH-2  21 0 0
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  13 0 0
P-08  28 0 0
P-09       
P-12  7 0 0
P-15       
P-18       
P-19  27 0 0
P-20  22 0 0
P-25       
P-26  18 0 0
P-31  26 0 0
P-32  24 0 0
P-33  25 0 0
P-35       
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  30 0 0
P-47       
P-48  32 0 0
P-50  18 0 0
P-51 13 0 0
P-52  29 0 0
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 19 0 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  12 0 0
Total 826 3 1

 

02 - Desconto Assistencial
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 104 35 9
Edinc 20 0 1
Imbetiba 66 4 9
PT 22 5 2
PCE-1  22 1 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 33 1 0
PPG-1  14 12 0
PNA-1  19 6 1
PNA-2       
PCH-1  19 1 1
PCH-2  4 17 0
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  9 4 0
P-08  4 24 0
P-09       
P-12  4 3 0
P-15       
P-18       
P-19  24 2 1
P-20  19 3 0
P-25       
P-26  1 16 1
P-31  26 0 0
P-32  14 10 0
P-33  22 3 0
P-35       
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  29 1 0
P-47       
P-48  29 3 0
P-50  18 0 0
P-51 3 10 0
P-52  28 0 1
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 16 3 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  7 5 0
Total 635 169 26

 

03 - Apr. Estado Assembleia permanente
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 144 0 4
Edinc 21 0 0
Imbetiba 78 0 1
PT 29 0 0
PCE-1  23 0 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 33 1 0
PPG-1  26 0 0
PNA-1  25 0 1
PNA-2       
PCH-1  21 0 0
PCH-2  20 1 0
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  13 0 0
P-08  28 0 0
P-09       
P-12  7 0 0
P-15       
P-18       
P-19  27 0 0
P-20  22 0 0
P-25       
P-26  18 0 0
P-31  26 0 0
P-32  24 0 0
P-33  25 0 0
P-35       
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  30 0 0
P-47       
P-48  32 0 0
P-50  17 0 1
P-51 12 1 0
P-52  29 0 0
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 19 0 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  12 0 0
Total 820 3 7

 

 

 

 

 

Imprensa da CUT -O presidente nacional da CUT, Vagner Freitas, convoca toda a militância e brasileiros e brasileiras em defesa da democracia e do trabalho decente para uma semana de lutas em todo o país.

A começar pela próxima quarta-feira (13), data em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva presta depoimento à Justiça Federal, em Curitiba. Em vídeo, Vagner aponta que está em curso uma tentativa de inviabilizar a candidatura de Lula porque o presidente representa a vontade popular de um Brasil melhor e o ponto final da série de retrocessos impostos pelo ilegítimo Michel Temer e sua base conservadora.

A Frente Brasil Popular realizará, a partir das 15h, na Praça Generoso Marques, centro de Curitiba, a segunda “Jornada de Lutas pela Democracia”, em apoio a Lula. O ato de solidariedade começa enquanto o ex-presidente estiver depondo, com atividades culturais, como a apresentação do músico Pereira da Viola, de Minas Gerais, e de artistas curitibanos dos grupos Samba da Resistência e delGhetto, além de Elian Woidello.

Às 16h30, está programada uma aula pública sobre os métodos utilizados pela Operação Lava Jato. A atividade terá a presença do ex-ministro da Justiça, Eugênio Aragão. O jurista é crítico à forma como a Operação tem sido conduzida, marcada, entre outras questões, por exposição midiática, prisões preventivas e ataques ao amplo direito de defesa.

Na sequência, será lançado o livro “Comentários a uma sentença anunciada: o processo Lula”, publicado pelo Projeto Editorial Práxis, com apoio do Instituto Joaquín Herrera Flores e Instituto Declatra. A obra, organizada por juristas, traz argumentos técnicos relativos à primeira sentença de Sergio Moro contra o ex-presidente. Por volta das 18h, começa o ato político que deve contar com a presença de Lula.

Derrubar as reformas

O dirigente lembra também que no dia seguinte, 14 de setembro, a CUT, confederações, federações e sindicatos promoverão um Dia Nacional de Lutas para Anulação da Reforma Trabalhista.
A Central colocou nas ruas no dia 7 de setembro uma campanha de coleta de assinaturas para um Projeto de Lei de Iniciativa Popular que revoga a nova legislação Trabalhista. A medida aprovada pelo Congresso entra em vigor no próximo dia 11 de novembro. 

A meta da CUT é que mais de 1,3 milhão de brasileiros assinem o documento que será entregue à Câmara dos Deputados. O passo seguinte é pressionar os deputados a votarem o texto que revoga a proposta do ilegítimo Michel Temer que acabou com diversos direitos trabalhistas (leia quadro abaixo). 

“Essa proposta aprovada por esse governo e esse Congresso corrupto acaba com sua carteira assinada, todos seus direitos e transforma seu emprego em bico”, aponta Vagner Freitas.  

Nesse dia de luta, as organizações filiadas à Central também levarão às ruas o alerta de que colocar a Reforma da Previdência para votar resultará em uma grande greve.

“Um slogan que quero que você, trabalhador, trabalhadora tenha como uma mantra: se botar para votar, o Brasil vai parar. Se botar para votar, vamos fazer uma grande greve e tem de ser com sua participação”, afirma.



Acesse os materiais da campanha

Clique aqui para acessar os primeiros materiais da campanha, que incluem:

- cartilha com orientações sobre a campanha;

- formulário para coleta de assinaturas;

- banner;

- cartaz.

Os materiais também estão disponíveis no site da CUT e no site da campanha, onde também é possível obter mais informações:

www.cut.org.br

anulareforma.cut.org.br

A categoria petroleira está aprovando os três indicativos apresentados pela FUP e sindicatos petroleiros de aprovação de um termo aditivo para barrar a Contrarreforma Trabalhista, desconto assistencial e assembleia permanente. A parcial abaixo envolve as plataformas que encaminharam suas atas até às 12h de hoje, 11.

As plataformas que não realizaram assembleias poderão fazer e encaminhar suas atas até 12h de quarta, 13. Nesta segunda, às 23h acontece mais uma assembleia em Cabiúnas . E para finalizar o ciclo de consulta à categoria, petroleiros e petroleiras da ativa, aposentados e pensionistas  poderão comparecer a Sede de Campos, na quarta-Feria, dia 13 de setembro, às 10h. 

Indicativos:

1 - Aprovação do termo aditivo da FUP para barrar a contra reforma trabalhista.

2 - Desconto assistencial de 1% incididos na remuneração dos empregados ativos (salário básico e demais adicionais) e aposentados (Petros e INSS) nos meses de outubro, novembro e dezembro, sendo 0,5% para a FUP e 0,5% para o sindicato.

3 - Aprovação estado de assembleia permanente

 

1 - Apr.  Termo Aditivo
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 130 0 0
Edinc 20 0 1
Imbetiba 79 0 0
PT 29 0 0
PCE-1  22 1 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 34 0 0
PPG-1  25 1 0
PNA-1  25 1 0
PNA-2       
PCH-1  21 0 0
PCH-2  21 0 0
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  13 0 0
P-08  28 0 0
P-09       
P-12  7 0 0
P-15       
P-18       
P-19       
P-20       
P-25       
P-26  18 0 0
P-31  26 0 0
P-32  24 0 0
P-33  25 0 0
P-35       
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  30 0 0
P-47       
P-48  32 0 0
P-50  18 0 0
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 19 0 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  12 0 0
Total 717 3 1

2

02 - Desconto Assistencial
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 98 25 7
Edinc 20 0 1
Imbetiba 66 4 9
PT 22 5 2
PCE-1  22 1 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 33 1 0
PPG-1  14 12 0
PNA-1  19 6 1
PNA-2       
PCH-1  19 1 1
PCH-2  4 17 0
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  9 4 0
P-08  4 24 0
P-09       
P-12  4 3 0
P-15       
P-18       
P-19       
P-20       
P-25       
P-26  1 16 1
P-31  26 0 0
P-32  14 10 0
P-33  22 3 0
P-35       
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  29 1 0
P-47       
P-48  29 3 0
P-50  18 0 0
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 16 3 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  7 5 0
Total 555 144 22

 

03 - Apr. Estado Assembleia permanente
Plataforma Favor Contra Abstenção
Cabiunas 126 0 4
Edinc 21 0 0
Imbetiba 78 0 1
PT 29 0 0
PCE-1  23 0 0
PGP-1       
PRA-1       
PPM-1 33 1 0
PPG-1  26 0 0
PNA-1  25 0 1
PNA-2       
PCH-1  21 0 0
PCH-2  20 1 0
PCP 1/3       
PCP 2       
PVM-1      
PVM-2       
PVM-3       
P-07  13 0 0
P-08  28 0 0
P-09       
P-12  7 0 0
P-15       
P-18       
P-19       
P-20       
P-25       
P-26  18 0 0
P-31  26 0 0
P-32  24 0 0
P-33  25 0 0
P-35       
P-37       
P-38       
P-40       
P-43  30 0 0
P-47       
P-48  32 0 0
P-50  17 0 1
P-51      
P-52       
P-53       
P-54       
P-55      
P-56 28 0 0
P-61 19 0 0
P-62      
P-63 31 0 0
P-65  12 0 0
Total 712 2 7

 

 

 

A diretoria do Sindipetro Paraná/SantaCatarina emitiu uma nota oficial hoje, 11, contra a decisão da Petrobrás de colocar à venda a Araucária Nitrogenados (Fafen/PR) e da UFN-III (Fafen-MS). O governo golpista tem se articulado para destruir a Petrobrás, fatiando e vendendo a empresa aos pedaços e esse é mais um passo do entreguista Pedro Parente à frente da companhia, que precisa ser barrado pela categoria petroleira de todo país.

Diante desse cenário, a diretoria do Sindipetro-NF se solidariza ao companheiros do Paraná, por considerar que a luta contra a privatização da Petrobrás é de todo povo brasileiro e que nosso projeto de soberania nacional passa por uma Petrobrás como empresa estatal integrada e indutora do desenvolvimento econômico e social do país.

Veja abaixo a nota oficial: 

Nota Oficial: Golpistas voltam suas garras contra a Fafen. Não passarão!

A sanha golpista pela entrega do patrimônio nacional avança agora sobre as Fábricas de Fertilizantes Nitrogenados (Fafen’s). A Direção da Petrobrás emitiu comunicado nesta segunda-feira (11) no qual relata à força de trabalho que iniciou o “processo competitivo para venda da Araucária Nitrogenados e da UFN-III”.

Em sádicas palavras, diz se tratar de uma “oportunidade de desinvestimento alinhada ao objetivo estratégico de saída de segmento de fertilizantes”.

A Araucária Nitrogenados S.A (Fafen-PR) utiliza resíduo asfáltico da Repar para produzir até 1.303 toneladas por dia de amônia e 1.975 t/dia de ureia, além de 450 m³/dia do Agente Redutor Líquido Automotivo (ARLA 32), 200 t/dia de gás carbônico e 75 t/dia de carbono peletizado. Já a UFN-III (Fafen-MS), localizada na cidade de Três Lagoas, sequer entrou em operação. A construção foi paralisada em dezembro de 2014, quando estava com cerca de 80% do projeto concluído.

Desde a inauguração da planta industrial, em 1982, os petroquímicos da Fafen-PR são companheiros de luta dos petroleiros. A primeira sede do Sindiquímica Paraná, legítimo representante da categoria petroquímica no estado, funcionou dentro da sede do Sindipetro. Trata-se de uma relação histórica de companheirismo e luta em defesa das causas trabalhistas e humanitárias.

A ameaça de privatização mais uma vez bate à porta dos companheiros da Fafen-PR. A fábrica foi vendida em 1993, durante o governo de Itamar Franco, mas o processo de privatização do setor de fertilizantes havia se iniciado na administração de Fernando Collor. Na época foi realizada uma grande campanha contra a privatização, na qual os petroleiros se engajaram e lutaram ombro a ombro com os petroquímicos. Mesmo com toda a mobilização e apoio da sociedade, os trabalhadores não conseguiram impedir a privatização da fábrica que, na época, produzia 42% dos fertilizantes utilizados no país.

A Fafen-PR voltou para o Sistema Petrobrás em 2013, após uma transação comercial da estatal com a Vale Fertilizantes, então proprietária da fábrica, sob a ótica do projeto de soberania nacional e da Petrobrás como empresa estatal integrada e indutora do desenvolvimento econômico e social do país, interrompido com o golpe político, jurídico e midiático de 2016.

 

Diante do anúncio do presidente golpista da Petrobrás, Pedro Parente, de colocar a Fafen-PR novamente no balcão de negócios do mercado, o Sindipetro Paraná e Santa Catarina, em nome da categoria petroleira, reafirma os laços de união e companheirismo com os petroquímicos e lutará até as últimas consequências para barrar a venda da Fafen-PR e a continuidade do desmonte do Sistema Petrobrás.

 

A luta dos petroquímicos é a luta dos petroleiros. Abaixo às privatizações.

 

Curitiba, 11 de setembro de 2017

 

Direção Executiva

Sindipetro Paraná e Santa Catarina

O Sindipetro-NF recebeu relatos de trabalhadores de que estão ocorrendo problemas no site do INSS, acusando falta de lançamento de contribuições em alguns meses. 

O sindicato orienta os petroleiros e petroleiras que verifiquem seus extratos no órgão e solicitem ao RH da Petrobrás um documento que comprove a realização dos pagamentos. A entidade entrou em contato com o RH da empresa para alertar sobre a situação. 

"Eles disseram que estão cientes e, segundo o INSS, quando a pessoa der entrada na aposentadoria os pagamentos estarão lançados no sistema. Também afirmaram que estão tomando medidas institucionais para resolver esse problema", explica o coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra.

 

[Coordenador geral do Sindipetro-NF, Tezeu Bezerra / Foto: Elisângela Martins]

 

Petroleiros da Schlumberger em Macaé realizaram, no início da manhã de hoje, assembleia convocada pelo Sindipetro-NF para votar indicativo do sindicato de aprovação de Termo Aditivo ao Acordo Coletivo 2016-2018. 

Por 89 votos a 9, com 1 abstenção, os trabalhadores e trabalhadoras aprovaram o indicativo. O Termo prevê reajuste salarial de 3,6% para a primeira faixa de remuneração (até R$ 5 mil), e de 2% para a segunda faixa (de R$ 5.000,01 a R$ 8 mil).

O sindicato também conquistou nas negociações com a empresa reajustes nos tickets refeição e alimentação. O primeiro passou de R$ 33,50 para R$ 34,60 (3,28%), e o segundo de R$ 280,00 para R$ 360,00 (27%). Outra mudança é que o ticket alimentação será estendido a todos os funcionários, independentemente da faixa salarial.

Participaram da assembleia nesta manhã os diretores Wilson Reis, Eider Cotrim, Rafael Crespo e Cláudio Nunes.

Tetra

Outra atividade do Sindipetro-NF no Setor Privado, hoje, será reunião de negociação do Acordo Coletivo com a empresa Tetra, também em Macaé, às 15h.

 

 

 

Da Imprensa da CUT - A campanha jurídica-política-midiática para condenar e prender o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva atingiu seu apogeu na “Semana da Pátria” e terá importantes desdobramentos nos próximos dias.

Na quarta-feira (13/09), Lula presta depoimento ao juiz Sergio Moro, em Curitiba (PR) e vai responder a todos os seus acusadores, inclusive os absurdos que lhe foram imputados pelo ex-ministro Palocci.

Lula será recebido e acompanhado na Capital paranaense por uma nova Jornada de Luta pela Democracia, um ato de solidariedade ao ex-presidente e de denúncia da perseguição e do caráter político da Operação Lava Jato. A jornada é organizada por um conjunto de militantes e representantes de entidades e movimentos sociais articulados pela Frente Brasil Popular.

O principal ato político da Jornada acontece na Praça Generoso Marques (próximo à Catedral), no centro de Curitiba.

Confira a programação completa do dia 13/09:

15h - Atividades culturais

17h - Lançamento do livro: "Comentários a uma sentença anunciada: o processo de Lula", organizado por um grupo de professores e operadores do Direito, que evidencia os abusos e inconsistências no processo contra Lula.

18h- Ato de solidariedade ao ex-presidente (com a presença de Lula).

 

Pagina 3 de 712

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700