O Sindipetro-NF participou, ontem, da reunião do comitê cutistas das estatais, na sede da CUT-RJ, no Rio. A entidade foi representada pelo diretor Sérgio Borges. A categoria petroleira também esteve presente por meio da FUP, com a participação do coordenador geral da Federação, Simão Zanardi.

O comitê elaborou uma agenda de atividades para as próximas semanas, entre elas um ato público para denunciar a política de privatizações.

Além dos petroleiros, participaram sindicalistas de categorias como eletricitários, bancários, correios, moedeiros, professores, urbanitários, trabalhadores da saúde e de comunicação.

Estão na mira das privatizações, algumas em estágio muito avançado de entrega,  empresas como a Petrobrás, Fiocruz, BR Distribuidora, Transpetro, Furnas, Eletrobrás, Nuclebrás, Nuclen, Acricen, Liquigás, CPRM, Casa da Moeda, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES, Finep, Banco Central, Correios, Embrapa, Docas do Rio de Janeiro, Empresa Brasileira de Comunicação, Cedae, Rio Luz, Dataprev, serpro, CNEN, Cepal, Eletronuclear, CET-Rio, CBTU, Nuclep e Arsenal da Marinha.

"Com sua agenda neoliberal, voltada exclusivamente para o mercado e contra o povo", protestam os sindicalistas, "o governo Temer quer acabar com tudo o que é público.

 

 

Da Imprensa da FUP - O prazo final para a seleção das empresas que se inscreveram como interessadas na compra das refinarias anunciadas pela Petrobrás, termina na próxima segunda-feira, 18 de junho.

No final de abril deste ano, a empresa colocou a venda dois grupos de ativos no refino, um no Nordeste com 2 refinarias (RLAM e Abreu e Lima), 770 km de oleodutos, 5 terminais e outro no Sul, outras 2 refinarias (REFAP e REPAR), 736 km de oleodutos e 7 terminais.

Mesmo após fortes críticas em relação aos equívocos que cometeu em sua política de preços de derivados, redução das cargas processadas em suas refinarias, redução do número de trabalhadores e incentivo à importação de derivados, a empresa insiste em privatizar suas refinarias.

Braço direito do Deus Mercado, assim como Parente, o novo presidente da Petrobrás, Ivan Monteiro, mantém a mesma política de entrega da empresa. Apesar de muitos trabalhadores da Petrobrás acreditarem que a privatização iria ser suspensa após a saída do Parente, isto não ocorre. E ignorando os anseios da sociedade, que vem se posicionando contra a venda da empresa e de seus ativos e clamam por uma Petrobrás voltada para o povo brasileiro e não para o mercado, as privatizações continuam avançando.

Além disso, vale lembrar que outros ativos já foram vendidos e/ou estão em fase mais avançadas de venda, como campos de petróleo em terra, águas rasas e profundas, fábricas de fertilizantes e outros.

Neste cenário, com o objetivo de denunciar este crime contra a soberania nacional e contra a destruição da empresa mais importante do país, a FUP e seus sindicatos filiados estão convocando atos nacionais no dia 18/06, em todas as unidades da Petrobrás do Brasil.

A participação de todos é muito importante, pois defender a Petrobrás, é defender o Brasil.

#Todos pela Petrobrás
#Privatizar faz mal ao Brasil

[Confira vídeo do coordenador da FUP, Simão Zanardi]

 

 

Da Imprensa da FUP - Em reunião com a Gerência de Recursos Humanos, nesta quinta-feira (14), a direção da Federação Única dos Petroleiros cobrou esclarecimentos sobre a obrigatoriedade dos trabalhadores de autorizar acesso as suas informações do imposto de renda. A empresa aproveitou ainda para apresentar um projeto para a criação de um novo Plano de Cargos. Por fim, a FUP cobrou uma posição sobre a PLR.

Sobre a questão da obrigatoriedade de expor o Imposto de Renda através do botão compartilhado, o coordenador geral da FUP, Simão Zanardi, questionou sobre o sigilo em relação ao documento. De acordo com ele, os trabalhadores precisam ter a segurança de que não terão seus dados divulgados pela empresa e solicitou que esteja escrito no recibo do botão compartilhado que o IR está em sigilo e apenas o Tribunal de Contas da União terá acesso, caso solicitado. A empresa também apresentou as fundamentações jurídicas sobre esta obrigatoriedade.

A gerência de RH aproveitou a reunião para apresentar um projeto de mudanças no atual Plano de Classificação e Avaliação de Cargos (PCAC), nomeado agora de Plano de Carreiras e Remuneração (PCR), onde separa os trabalhadores apenas em duas carreiras: nível técnico e nível superior. Em um primeiro olhar crítico da FUP, alertou-se que tem características similares aos de empresas privadas como a Shell e a Statoil, no qual, segundo a empresa, serviram de inspiração. A FUP irá analisar, com assessoria do DIEESE, os impactos deste novo plano para os trabalhadores.

Por fim, em relação ao pagamento da PLR 2017, a direção da FUP voltou a reafirmar que concorda com o pagamento nos moldes de 2015, desde que seja para todos os trabalhadores do Sistema Petrobrás. Porém a gerência ainda insiste em excluir os petroleiros da FAFEN-PR. O coordenador geral da Federação pediu para que os gestores apresentem o acordo de PLR em mesa de negociação para ser assinado, com o respeito que todos os trabalhadores da Petrobrás merecem.

[Confira vídeo do coordenador geral da FUP, Simão Zanardi]

 

 

Resultado de reivindicações históricas das petroleiras, as salas de amamentação em unidades da Petrobrás são experiências bem sucedidas que a categoria quer ver ampliadas. Nesta quinta, 14, a diretora do Sindipetro-NF, Conceição de Maria, visitou a sala que funciona na base de Imbetiba, em Macaé. 

No município, a empresa também mantém uma sala especial no Parque de Tubos, que receberá visita do NF na próxima semana. O sindicato agora luta pela implantação de uma sala de amamentação na base de Cabiúnas.

As salas foram criadas após demandas das petroleiras, feitas pelo Coletivo de Mulheres Petroleiras da FUP na antiga subcomissão de gênero e raça da Petrobrás — extinta neste governo Temer.

Em março de 2017, em matéria do Nascente sobre conquistas das mulheres petroleiras, o sindicato já destacava a importância destes espaços. A própria diretora Conceição de Maria lembrou a sua vivência como trabalhadora e mãe.

“Tive meu primeiro filho na década de 80 e saia correndo do trabalho para amamentá-lo. Hoje percebo que as salas de amamentação trazem uma tranquilidade às lactantes, porque têm onde armazenar o leite até a saída do trabalho", contou.

 

Da Imprensa da CUT - A Copa do Mundo da Rússia 2018 começou e o Brasil entra em campo pela primeira vez no domingo (17), às 15h, contra a Suíça, na Arena Rostov, em Rostov-on-Don. O segundo jogo da primeira fase será numa sexta-feira, dia 22 de junho, às 9h, contra Costa Rica, em Saint Petersburg. A terceira partida, no dia 27, será às 15h, em Moscou, no estádio Spartak, contra a Sérvia.

Além da grande imprensa, que têm acesso aos hotéis, treinamentos e coletivas, o futebol estará na pauta da TV dos Trabalhadores (TVT), veículos alternativos, rádios universitárias e populares.

Confira abaixo alternativas de onde acompanhar a Copa fora dos veículos tradicionais:

TVT

A TV dos Trabalhadores vai mostrar os gols das partidas da Copa do Mundo todos os dias, no Seu Jornal, a partir das 19h. Para assistir, basta sintonizar no 44.1 HD na TV digital.

Na TVT, é possível também acompanhar o programa ‘Papo com Zé Trajano’, que, com bate papo descontraído e a presença de convidados especiais, debate futebol, política, música, cultura e sociedade. No próximo mês, a Copa do Mundo da Rússia será o destaque da programação. Acompanhe de segunda a sexta, às 18h45, ao vivo, antes do Seu Jornal.

É possível acompanhar também pelo Portal da Rede Brasil Atual, que retransmite a programação da TVT.

Ultrajano

Sob a batuta também de José Trajano e Cláudio Arreguy, ex-jornalistas da ESPN e com bagagem de quatro décadas de cobertura esportiva, o Ultrajano trata não só de Copa do Mundo, mas de política, cultura geral e direitos humanos.

A principal atração são os vídeos, divididos em dois programetes: o Arreguy na Área e o Tabelinha, cujas edições anteriores estão disponíveis em um canal único no Youtube.

Brasil de Fato

O Brasil de Fato tem uma página especial dedicada à cobertura da Copa. A cobertura oferece transmissões ao vivo no Facebook de segunda à sexta, boletins diários na Rádio Brasil de Fato e reportagens exclusivas no portal. Os programas estaduais, que vão ao ar toda semana, também repercutem os boletins e trazem as informações mais recentes sobre o Mundial.

TV 247

Durante o Mundial da Rússia, a mesa-redonda 'Na ponta esquerda - Copa e Democracia' será exibida diariamente, às 20h30, pela TV 247, YouTube e Facebook. O programa combina a análise sobre o que acontece nos estádios russos, os lances e personagens do mais importante torneio de futebol do mundo, com o cenário e o contexto político nacional e internacional, sugerindo que, para além do entretenimento e da diversão, o futebol pode encaminhar relevantes debates e reflexões.

> Confira como foi o programa de estreia exibido ontem

Telesur

Para aqueles que compreendem o idioma espanhol, a TV pública venezuelana é uma alternativa de cobertura com viés político, debates acalorados e irreverência.

O ponto alto da programação é a presença do craque argentino Diego Maradona, que terá um programa próprio durante a Copa. A atração 'De la mano del diez' - “Das mãos do dez” - foi ao ar pela primeira vez nesta terça-feira (13), às 23h, em parceria com o jornalista esportivo uruguaio Víctor Hugo Morales. Eles vão repetir a dobradinha que fizeram durante a Copa de 2014.

Assista à Telesur ao vivo na internet e acompanhe o Twitter criado pela emissora especialmente para conteúdos relacionados à Copa do Mundo 2018.

Rádio Inconfidência

Emissora de rádio pública de Minas Gerais, a Rádio Inconfidência AM 880 transmitirá as partidas da Copa do Mundo. Nos dias de semana, o futebol é assunto no programa 'Primeiras Esportivas', das 11h às 12h.

No programa 'Esportes pelo Ar', às 20h, tem mais uma hora de noticiário esportivo, com a participação de convidados e comentaristas de todo o estado, além da contribuição de ouvintes pelas redes sociais.

Coordenada por José Augusto Toscano, a equipe esportiva contém três narradores, três comentaristas, cinco repórteres e quatro plantonistas, de olho no dia a dia da Seleção.

Quem estiver fora de Minas Gerais pode acompanhar a cobertura da Copa no site oficial da emissora.

Rádio Ponto

Cerca de 45 estudantes do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) trabalham há um mês na produção de conteúdos sobre a Copa do Mundo para veiculação na Rádio Ponto UFSC. Eles integram o Núcleo de Radiojornalismo Esportivo, uma iniciativa pioneira entre as universidades do país, e também fizeram a cobertura do Mundial 2014 no Brasil.

Para acompanhar a programação, é preciso sintonizar a FM 106.1 na região do Campus Trindade, em Florianópolis, ou acessar o site da rádio.

A partir do dia 14, começam as Grandes Jornadas Esportivas (GJE), que são transmissões ao vivo de jogos do Mundial feitas pelos futuros jornalistas. A estrutura de transmissão da GJE se assemelha à de uma rádio comercial: um narrador, dois comentaristas, um repórter e um plantonista. Nos bares próximos ao estúdio, as partidas serão veiculadas com as imagens disponibilizadas pela Fifa e com o áudio da Rádio Ponto.

De segunda à sexta, às 17h45, as notícias mais quentes do dia são reunidas no programa Diário da Copa. Segunda, quarta e sexta, a partir das 18h, vai ao ar o programa 'Parada para a Copa'.

 

[Com edição da Imprensa do NF e informações do Brasil de Fato]

 

 

FUP - O Conselheiro de Administração, Christian Queipo, eleito pelos trabalhadores da Petrobrás, mostrou que está do lado do golpe ao abster seu voto sobre a nomeação de Ivan Monteiro, para o cargo efetivo de CEO da empresa. Ao abrir mão do voto, que é de todos os trabalhadores, é concordar com a escolha do governo de Mishell Temer, uma vez que a indicação do nome de Ivan foi primeiramente feita pelo Ministério de Minas e Energia, pela União ser o acionista majoritária.

Além disso, em sua justificativa Queipo deixa claro que concorda com a política de vendas de ativos, no qual o atual presidente da Petrobrás está a frente desde sua entrada na empresa, quando diz que “esta apreciação do conselheiro de forma alguma deixa de reconhecer o bom trabalho que, como Diretor Financeiro, o Sr. Ivan Monteiro realizou na arrumação das contas da empresa e, particularmente, no refinanciamento de passivos e alongamento do perfil da dívida da companhia”.

A Federação Única dos Petroleiros discorda completamente deste posicionamento de um Conselheiro que deveria representar os interesses dos trabalhadores e não da direção golpista da empresa. Vale lembrar que Christian Queipo faz parte do grupo dos trabalhadores que formam os Sindicatos não filiados à FUP e que apoiaram o golpe desde seu início, pedindo fora todos.

Da Imprensa da FUP - Na manhã desta quarta-feira, 13, a Federação Única dos Petroleiros recebeu do Oficial de Justiça um Mandado de Citação sobre o Dissídio Coletivo de Greve nº TST-DCG-1000376-17.2018.5.00.0000.

Em mais um golpe contra os trabalhadores, o processo referente a greve de advertência com prazo determinado de 72 h tem o objetivo de criminalizar e inviabilizar os movimentos sociais e sindicais. O Tribunal Superior do Trabalho que julgou a greve ilegal, atendendo aos desejos do golpe, aumentou, em menos de 24 horas do início do movimento, no dia 31/05, de R$ 500 mil para R$ 2 milhões a multa diária às organizações sindicais.

A Federação e seus sindicatos já ingressaram com o recurso cabível contra essa decisão.

De acordo com o coordenador geral da FUP, Simão Zanardi, a assessoria jurídica já está com a defesa pronta de forma preliminar. “No dia 15 estaremos reunidos no Rio de Janeiro com todas as assessorias jurídicas dos Sindicatos mais a assessoria da FUP para discutir os desdobramentos da greve. O TST impôs pesadas multas aos Sindicatos e agora chegou a hora da nossa defesa”. E completou: “vamos à luta, pois a resistência vai continuar”.

 

 

A diretoria do Sindipetro-NF se reuniu hoje com representante da Oiltanking em nova rodada de negociações sobre o Acordo Coletivo dos Trabalhadores. Diferentemente do que esperava a entidade, a empresa não apresentou uma contraproposta à Pauta de Reivindicações da categoria, mas se comprometeu a apresentar até a próxima sexta, 15.

Segundo o coordenador do Departamento de Trabalhadores do Setor Petróleo Privado, Wilson Reis, entre os pontos em discussão está o percentual de reajuste salarial. O sindicato reivindica 3%, enquanto a empresa, que inicialmente oferecia 2,06%, chegou a 2,5% na rodada de hoje.

Outro ponto discutido foi o ticket-alimentação: a entidade quer que a empresa reveja o desconto de 4% sobre os trabalhadores — o eliminando completamente ou adotando a prática de algumas outras empresa, de fazer um desconto simbólico de R$ 1,00.

"Se houver avanços na contraproposta a ser apresentada pela empresa, o sindicato chamará a categoria para avaliação", explica Reis.

A Oiltanking atua no Porto do Açu, em São João da Barra, e emprega aproximadamente 300 trabalhadores.

 

Confira abaixo as reivindicações dos trabalhadores da empresa para o ACT:

VIGÊNCIA - De 01º de janeiro de 2018 a 31 de dezembro de 2018 e a data-base da categoria em 01º de janeiro.

PISO - R$ 3.682,67

REAJUSTE - reajuste do ICV/DIEESE acrescido de ganho real de 3%

VALE ALIMENTAÇÃO - R$ 700,00 (setecentos reais) por mês, mediante crédito efetivado diretamente em cartão magnético de cada empregado.

REFEIÇÃO - valor de R$ 33,00 (trinta e três reais).

CESTA DE NATAL - valor aproximado de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais) no mês de dezembro e sem ônus para os empregados

TRANSPORTE - Será incluído o trajeto de Cajueiro a Portaria Toil na hora in itinere dos empregados da OILTANKING AÇU SERVIÇOS LTDA e OILTANKING LOGÍSTICA BRASIL LTDA.

PLANO DE SAÚDE E ODONTOLÓGICO - implantação de planos de saúde e odontológico em favor de seus empregados em atividade, por empregado, na modalidade definidas pelas EMPRESAS e por elas custeadas.

ESTABILIDADE DO EMPREGADO EM VIAS DE APOSENTADORIA - Fica assegurada a estabilidade no emprego, quando faltar ao empregado 01 (um) ano para obtenção de sua aposentadoria integral por tempo de contribuição. Decorrido o prazo da aposentadoria e não tendo o empregado feito uso desse direito, o empregado perderá a estabilidade aqui tratada.

TURNO - Os empregados mantidos no turno ininterrupto de revezamento, farão jus a um adicional de 2% (dois por cento) sobre o salário base a título de adicional de semi turno, bem como as horas noturnas efetivamente trabalhadas, conforme o artigo 73 da CLT.

TURNOS DE REVEZAMENTO - Durante a vigência do presente Acordo, será pago, mensalmente, aos trabalhadores em turnos ininterruptos de revezamento (quando assim houver), um percentual fixo de 32,5% (trinta e dois vírgula cinco por cento), sobre o salário-base do mês em vigência.

ABONO - abono mensal de 1 % ( hum por cento) retroativo a janeiro de 2017, para compensar o reajuste salarial não concedido no ano de 2016.

PLANO DE CARREIRA - implementar plano de carreira, onde cada nível que será estabelecido, observando um reajuste mínimo de 30 % sobre o salário base.

AUXÍLIO ACADEMIA - valor de R$ 120,00 reais.

CURSO DE INGLÊS - valor máximo de 200,00 (duzentos reais).

AUXÍLIO EDUCAÇÃO - para seus empregados durante a vigência desse acordo, para custeio de cursos universitários de seus empregados.

AUXÍLIO MATERIAL ESCOLAR - para os dependentes dos empregados no valor máximo de R$ 200,00 (duzentos reais), no mês de fevereiro.

PRESENTE DE CASAMENTO - valor mínimo de R$300,00 (trezentos reais).

AUXÍLIO FRALDA - R$ 300,00(trezentos reais) no primeiro mês dos filhos dos seus empregados.

PLR - independentemente de haver ou não lucro, equivalente a 150% (cento e cinquenta por cento) dos salários-base respectivos, isto é, a 1 salário base e meio (1,5) de cada empregado.

 

 

Sindipetro-BA - O vazamento de óleo cru com água produzida, proveniente da estação coletora de Pedra Branca da Petrobrás, na UO-BA, no sábado, 09/06, causou danos ambientais ao atingir o rio São Paulo, o manguezal e a fauna, localizados no município de Candeias.

A denúncia foi feita por pescadores e marisqueiras da região que detectaram a chegada do óleo ao rio e manguezal. De acordo com matéria publicada no jornal A Tarde (11/06), eles temem que a maré leve o óleo para outros locais como a Ilha de Maré, afetando também as comunidades de Madre de Deus e Candeias.

Os diretores do Sindipetro Bahia Gilson Sampaio, Jairo Batista e João Marcos foram ao local do vazamento. Eles culpam a atual gestão da Petrobrás pelo acidente ambiental.

A área onde aconteceu o acidente funcionava em regime de turno ininterrupto (24 horas) com operadores próprios. Após o desligamento em massa desses trabalhadores, a unidade passou a ser operada por empresas terceirizadas em regime de sobreaviso de 12 horas. Com isso, houve a redução e precarização da mão de obra e problemas na manutenção dos dutos.

“O trabalhador próprio da Petrobrás é treinado, tem qualificação para atuar em áreas como essas, por isso, uma atividade fim não deve ser terceirizada”, denunciam os diretores do sindicato, que acreditam ainda que a redução do efetivo mínimo também tem contribuído para os acidentes e incidentes, que se intensificaram em várias unidades da Petrobrás.

A diretoria do Sindipetro Bahia vai continuar acompanhando o desenrolar dos acontecimentos e o trabalho de contenção do óleo já iniciado pelos técnicos da Petrobrás, através do CDA (Centro de Defesa Ambiental).

O sindicato já está agendando reunião com o gerente da OP-CAN para pedir esclarecimentos e tratar sobre a situação.

Brasil de Fato - Os eletricitários brasileiros declararam greve de 72h na última segunda-feira (11) em defesa da Eletrobras. O Brasil de Fato conversou com Emanoel Mendes, diretor do Sindicato dos Eletricitários e da Associação de Empregados da estatal, para entender os prejuízos da privatização do setor elétrico na vida dos brasileiros.

Brasil de Fato: Sobre essa greve de 72h que acaba nesta quarta-feira (13), quais são as expectativas, pautas e a análise que vocês têm feito?

Emanoel Mendes: A gente já tinha definido essa greve há duas semanas, deliberado com os trabalhadores. Temos uma pauta que primeiro é lutar contra a privatização da Eletrobras e, segundo, pedir a saída do presidente da empresa, o senhor Wilson Pinto. A nossa expectativa é que ela cause uma reação no Congresso Nacional, fazendo com que a base do governo, que já está fragilizada, dialogue com os trabalhadores para ver o que podemos fazer para interromper esse processo de privatização. 

Com essa greve conseguimos um canal de comunicação com o presidente da Câmara dos Deputados, o [deputado federal] Rodrigo Maia (DEM). Não dá pra querer fazer a privatização de uma empresa que vale R$400 bilhões, querer vender por R$12 bilhões e em menos de 6 meses. Isso a gente não aceita. A expectativa é que a gente consiga barrar esse processo de privatização e que o senhor Wilson Pinto peça demissão da direção da Eletrobras. 

Uma das estratégias da privatização é o sucateamento da estrutura das empresas públicas. Qual a situação das empresas do sistema Eletrobras? 

Hoje o que está acontecendo é que o senhor Wilson Pinto tem vendido para a sociedade que a Eletrobras é ineficiente. É mentira. E uma mentira deslavada. A Eletrobrás hoje controla quase 1/3 da geração de energia elétrica desse país e não faltou energia nesses últimos anos para a sociedade brasileira. Muito pelo contrário. Todo o investimento que foi feito em geração e transmissão a Eletrobras estava fazendo sozinha ou em parceria com o setor privado. 

Se as empresas do sistema Eletrobras forem privatizadas qual será o impacto na vida das pessoas?

O primeiro impacto para a sociedade é um aumento na conta de luz, já estudado inclusive pela Agência Nacional de Energia (ANEL), que regula o setor, um reajuste de aproximadamente 20% na conta de luz da população brasileira. Com as usinas, a Eletrobras vende energia para o mercado cativo a R$40 MWh. Se a empresa for privatizada, isso vai para o mercado livre que vai vender a energia para a população a R$200 MWh. Ou seja, vai ter uma diferença aí de 160%. E ai quem vai pagar essa conta? A população brasileira. Vai ao mesmo tempo aumentar o preço da energia e precarizar o serviço para a população. 

A greve por tempo indeterminado contra a privatização do Sistema Petrobrás foi reafirmada pelas direções sindicais durante o Conselho Deliberativo da FUP, realizado nesta terça-feira, 12, em Curitiba. Conforme aprovado nacionalmente pelos petroleiros nas assembleias, a data de início do movimento será definida pela Federação.

Nas avaliações feitas pelas direções sindicais, a greve de advertência feita pela categoria no dia 30 de maio foi uma importante etapa de acumulação de forças na luta em defesa da soberania nacional. 

Os petroleiros desmascaram a gestão de Pedro Parente, evidenciando sua responsabilidade na imposição de uma política de reajuste dos derivados de petróleo indexada ao mercado internacional que fez disparar não só os preços do diesel, como também da gasolina e do botijão de gás de cozinha. A greve dos petroleiros pautou esse debate na sociedade, revelando a relação direta da política de preços dos combustíveis com o desmonte das refinarias e as privatizações no Sistema Petrobrás.

Mesmo diante da decisão arbitrária do TST de impor multas milionárias às entidades sindicais, decretando a ilegalidade da greve, antes mesmo de seu início, a avaliação da FUP e de seus sindicatos é de que o movimento foi vitorioso, pois politizou e ampliou a luta em defesa da soberania energética. A criminalização da greve, no entanto, requer dos petroleiros novas estratégias de luta.

Diante dessa nova conjuntura, o Conselho Deliberativo da FUP definiu um amplo calendário de mobilizações, para que os petroleiros unifiquem força com outras categorias na luta contra as privatizações e os ataques sofridos pelos trabalhadores de estatais.

Na segunda quinzena de junho, os petroleiros farão um ato nacional em apoio à greve que o Sindiquímica Paraná está organizando contra a privatização da Araucária Nitrogenados, cuja venda está em processo de finalização. Ao longo de julho, durante toda semana haverá um ato nacional da FUP em cada uma das quatro refinarias que estão em processo de venda.

As organizações sindicais também irão intensificar a campanha por mudanças na política de preços dos combustíveis durante o período de consulta pública da ANP, que teve início nesta terça-feira, 12/06, e prossegue até 02 de julho. A FUP e seus sindicatos terão ainda uma força tarefa em Brasília para acompanhar o debate em torno da instalação da CPI que investigará a política de preços da Petrobrás.

Agenda de luta

Junho

  • 15/06 – encontro das assessorias jurídicas da FUP e sindicatos
  • 18/06 – atos nacionais contra a privatização do Sistema Petrobrás, pelo direito de greve e contra a criminalização dos movimentos sociais
  • 18 a 30/06 – neste período, será convocado um ato nacional em apoio à greve dos petroquímicos do Paraná contra a venda da Araucária Nitrogenados
  • 22/06 – seminário nacional em Brasília com trabalhadores de estatais sobre impactos da Resolução 23 da CGPAR, que impõe mudanças nos planos de saúde das empresas públicas
  • 25 a 29/06 – força tarefa da FUP e sindicatos em Brasília para acompanhar o debate em torno da instalação da CPI que investigará a política de preços dos combustíveis
  • 25/06 a 16/07 – reunião conjunta FUP e FNU (Federação Nacional dos Urbanitários) para construir um calendário unificado de lutas com os eletricitários contra a privatização dos Sistemas Petrobrás e Eletrobrás

Julho

  • 02/07 a 04/07 – ato nacional da FUP contra a privatização da RLAM (BA)
  • 12/07 - ato nacional da FUP contra a privatização da REFAP (RS)
  • 17/07 – ato nacional da FUP contra a privatização da REPAR (PR)
  • 18/07 – reunião do Conselho Deliberativo da FUP em Curitiba
  • 26/07 - ato nacional da FUP contra privatização da Refinaria Abreu e Lima (PE)

O Departamento Jurídico do Sindipetro-NF está convocando 115 trabalhadores abrangidos pela inicial da ação das Carteiras de Trabalho. Eles foram admitidos entre 2002 e 2003, pela Petrobrás, mas realizaram treinamento operacional sem carteira assinada.

Confira a nota do Jurídico:

"Ação da CTPS

O Sindipetro/NF ganhou ação sobre a retroatividade da assinatura das Carteiras de Trabalho para os trabalhadores admitidos entre 2002 e 2003, que fizeram treinamento operacional sem carteira assinada.

Infelizmente, porém, a Justiça do Trabalho limitou a abrangência da ação para os 115 trabalhadores utilizados a título de exemplo na inicial do processo. Isso apesar de, desde o início, propormos o processo como Ação Civil Pública, de efeito geral.

O processo finalmente retornou à Macaé, para execução da sentença.

Para dar efetividade ao que foi ganho:

1° - Convocamos os 115 trabalhadores (a lista completa abaixo) para trazerem à sede do Sindipetro/NF a Carteira de Trabalho e Previdência Social, que será encaminhada à Petrobrás, para assinatura da data correta;

Data para envio, até 18 de junho de 2018;

2° - Os demais trabalhadores admitidos entre 2002 e 2003, e que tiveram o mesmo problema, serão mais adiante também convocados pelo Sindicato, para o devido encaminhamento jurídico.

Quaisquer dúvidas poderão ser sanadas pelo endereço eletrônico O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

 

Lista dos trabalhadores convocados:

 

  1. Adalberto Silva;
  2. Adriano de Souza Pinto;
  3. Alberto Rodrigues dos Anjos;
  4. Alessandro de Souza Quintanilha;
  5. Alex Vidal do Espirito Santo;
  6. Alexandre Pinto Moreira;
  7. Alice da Silveira Pires;
  8. Amanda Maria Theodoro;
  9. Anderson Braga;
  10. .Anderson Pessanha de Freitas;
  11. .André Luiz Almeida Vieira;
  12. .André Luiz Gago de Oliveira;
  13. .André Luiz Silva da Costa;
  14. Antônio Carlos Dias;
  15. .Antônio Celso Honorato da Silva Filho;
  16. Antônio Henrique Hemerly Garcia;
  17. Antônio Levi Gonçalves da Silva;
  18. Athon Cortes Gimendez;
  19. .Carlos Augusto Martins dos Santos;
  20. Carlos Augusto Rangel;
  21. Carlos Henrique Rodrigues Coutinho;
  22. Carlos Roberto de Oliveira Nascimento Junior;
  23. Carolina Moreira de Oliveira;
  24. Cássius Marcelo Dutra Pessanha;
  25. Cérgio Francisco de Paula;
  26. Cezar Augusto Becker;
  27. Cezar Augusto de Campos;
  28. Cícero Sarcineili Zanetti;
  29. Clairton Dias Lara;
  30. Cláudia Nascimento Caetano;
  31. Cláudio Hely de Sousa Almeida;
  32. .Clausmar Luiz Siegel;
  33. Claydson Roberto de Souza;
  34. Dalvo Augusto de Oliveira Filho;
  35. Daniel Lopes de Carvalho;
  36. Daniele da Silva;
  37. Deyvisson Bastos Silva;
  38. Diego Alves Moreira Neves;
  39. .Eduardo Antunes Vieira;
  40. Eduardo Baptista Motta;
  41. Eduardo de Paula Pinho Tavares;
  42. Elias Pinheiro Pedersane;
  43. Emerson Figueroa;
  44. Fábio Antunes Guimares;
  45. Fábio Bastos Silva;
  46. Fábio Vaz de Souza;
  47. Felipe Rodrigues Nascimento;
  48. Francisco Carvalho dos Santos Rodrigues;
  49. Frederico Lúcio Macedo;
  50. Fúlvio Gonçalves Chagas;
  51. Fúlvio Ximenes Cavalcante;
  52. Gabriel de Oliveira Mello;
  53. .HenriqueGaigher Freire;
  54. .Iara da Silva Saies;
  55. Igor da Silva Rodrigues;
  56. .Ilson Feitosa Junior;
  57. Jadersson Ramos de Lima;
  58. .Jadirlan Schubert dos Santos;
  59. .João Luiz Torres Cardoso;
  60. Jones Robson Velasco da Paixão;
  61. José Teixeira Martins Junior;
  62. José Walbert de Morais Farias;
  63. Juliana Schwartz de Castro Becker;
  64. Lauro Barreto de Godoy;
  65. Leandro da Silva Moraes;
  66. Leandro Lutterbach de Moraes e Melo;
  67. Lenilson Gonçalves de Souza;
  68. Leonardo Fantin Lopes;
  69. Leonardo Rodrigues de Barcelos;
  70. Leonardo Silva de Alcântara;
  71. Lissandra da Silva Soares;
  72. Luciana Ferreira Muylaert;
  73. Luciano Martins Soares;
  74. Luciano Teixeira Carneiro;
  75. Luís Eduardo Fonseca Faria;
  76. Marcelo Bastos David;
  77. Marcelo Beck Daflon Jardim;
  78. Marcelo Costa de Oliveira;
  79. Marcelo Lemos Soares;
  80. Marciane de Souza Azevedo;
  81. Márcio Affonso Rodrigues;
  82. Marco Antônio Grassi;
  83. Marco Antônio Guerra Pires;
  84. Marco Aurélio Farias da Silva;
  85. .Marconi Fernandes Emerich de Paula;
  86. .Marcos Bruno Alves Rangel;
  87. Matheus Costa Pereira;
  88. .Maurício Elias Sedaca;
  89. .Michel Gomes Costa;
  90. Millena de Oliveira Lourenço;
  91. Orlando Bitencourt;
  92. Otávio Barreto Bevitori;
  93. Pablo Bicalho Nascimento;
  94. .Paulo Henrique Correa Magalhães;
  95. Paulo Roberto Neves Abrantes;
  96. Pedro Nunes Martins;
  97. Rafael do Carmo Figueiredo Moreira;
  98. Rafael LardosaSueth;
  99. .Ramsés Serrano da Silva;
  100. Raquel Pereira Alves;
  101. Renato Saraiva Monteiro;
  102. Ricardo Pereira Carnaúba;
  103. Rita de Cássia Barcelos Henrique de Carvalho Azevedo,;
  104. Roberta Esteves Monnerat;
  105. Robson Botelho Nunes Junior;
  106. Robson Campos Neves;
  107. Robson Rodrigues de Almeida;
  108. Rodrigo Moço Leal;
  109. Rondinelli Correa Dutra;
  110. Sávio Schimith Rodrigues;
  111. TaianeTércia Freitas;
  112. Thais Sessa Paes;
  113. Victor Hugo Kozloski;
  114. Wagner Silva Abreu dos Santos;
  115. Waldir Vieira Dei Giudice Junior."

 

Pagina 11 de 799

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700