Em tempos duros, de opiniões rasas que colaboram para a imensa crise político-social, é necessário o debate e reflexão sobre o momento. Por isso, o mandato do vereador Marcel Silvano promove o Debate Mídia, Poder e Politização da Justiça. O evento acontecerá no dia 26 de abril, quinta-feira, às 18h na Cidade Universitária, em Macaé e será uma oportunidade de avaliar e ouvir especialistas sobre os acontecimentos recentes, como a prisão política do ex-presidente Lula.

O evento terá dois pontos de destaque: o papel da mídia e a politização da justiça na disputa do poder no Brasil e no mundo. A mesa será composta pelo vereador de Macaé, Marcel Silvano, por Carol Proner, Professora de Direito Internacional da UFRJ, Gerson Dudus, Professor e Mestre em Comunicação Social e José Maria Rangel, Coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP).

“A política, os serviços e servidores públicos e os direitos sociais enfrentam a criminalização cotidiana, que leva à perda da esperança e a piora de nossa vida. Esses são tempos que exigem reflexão e organização coletiva para levar e debater essas questões junto da sociedade. Não podemos parar com a luta pela democracia e por nossos direitos fundamentais. Por isso promovemos esse evento, para que as pessoas possam participar e levar suas dúvidas e pontos de vista para a construção coletiva”, explica Marcel Silvano.

Os participantes do Plano Petros 1 sofreram um grande ataque quando a Fundação Petros decidiu fazer o equacionamento do plano pelo valor máximo, colocando nas costas dos trabalhadores uma grande fatia do déficit. Chegando a ser desumano os descontos que estão sendo imputados aos participantes.
Apesar do jurídico do Sindipetro-NF ter conquistado duas liminares, até o momento, para suspender essas cobranças, e realizado diversas reuniões, esse tema ainda gera dúvidas na categoria.
Com a finalidade de esclarecer trabalhadores e trabalhadoras da ativa e aposentados, o NF realiza na próxima terça, 24, às 18h em Macaé, no Sindicato. Uma palestra com representantes dos trabalhadores na Petros.

Liminar


O Sindipetro NF conquistou mais uma suspensão do pagamento do equacionamento para os filiados residentes em Macaé.
Desde Setembro de 2017, o Sindicato ajuizou ações com os objetivos da revisão do aumento dos descontos, e da suspensão dos mesmos enquanto não fosse debatido o tema. Na segunda Ação Civil Pública conseguiu a liminar da tutela de urgência mas, infelizmente, por decisão da juíza - que o jurídico do NF discorda - valeu só para os sindicalizados domiciliados no município do Rio de Janeiro.
O NF continuará na luta para ampliar as áreas de abrangência, por isso é importante que os trabalhadores participem de mais essa palestra de esclarecimento.

Na luta pelo Plano

Em vídeo divulgado em março no site da FUP, o coordenador da Federação, José Maria Rangel, falou sobre o equacionamento:
“Todos nós, participantes e assistidos do Plano Petros-1, estamos indignados com esse equacionamento abusivo que está sendo feito. A FUP conseguiu através de um processo negocial injetar R$ 11 bilhões no plano”, ressalta José Maria, destacando as principais conquistas dessa negociação, como o custeio paritário do plano, que obrigou as patrocinadoras a aumentarem suas contribuições; a implantação do Plano Petros-2, que hoje é um dos maiores e mais seguros planos de previdência complementar do país e a criação do BPO.
“Vamos continuar na luta para tentar salvar o Plano Petros-1. Temos a clareza de que o plano precisa de novos recursos se não ele vai à falência”, reiterou José Maria, afirmando que a FUP continuará defendendo os direitos dos participantes e assistidos com “responsabilidade e sem falsas ilusões”.

Na busca de uma gestão sindical sempre transparente, a diretoria do NF convoca a categoria para avaliar o balanço de 2017 e a previsão orçamentária de 2018

O Sindipetro-NF está convocando a categoria petroleira para participar de assembleias para avaliação das contas da entidade. As assembleias serão realizadas em 25 de abril de 2018. Na sede de Campos, a assembleia tem primeira convocação marcada para às 9h30, e para às 10h em segunda convocação. Em Macaé, os horários são, respectivamente, às 17h30 e 18h. 

Da pauta das assembleias constarão os pontos “Apresentação da prestação de contas - balanço 2017 e Previsão Orçamentária para 2018” e “Aprovação ou rejeição da prestação de contas”.

Num momento de grande ataque à organização sindical imposta pela Reforma Trabalhista do Governo MiShell Temer, os trabalhadores devem estar ainda mais unidos no sentido de proteger a sua entidade de classe.

 

A resposta dos petroleiros à desintegração do Sistema Petrobrás será a aprovação de uma greve nacional. Este é o caminho que está sendo apontado nas assembleias setoriais que os sindicatos estão realizando ao longo desta semana, em atendimento aos indicativos do Conselho Deliberativo da FUP. O anúncio de privatização das refinarias, dutos e terminais feito ontem (19/04) pela diretoria da empresa reforçou o entendimento da categoria de que é preciso reagir de forma contundente ao desmonte que ameaça transformar a Petrobrás em uma empresa de escritório, com todos os segmentos privatizados.

Nas unidades que estão na lista de privatização anunciada por Pedro Parente, os trabalhadores estão indignados e a reação já começou, com atrasos e paralisações no início do expediente desta sexta-feira, 20. Na Repar (PR), Refap (RS), Rlam (BA) e Abreu e Lima (PE), os petroleiros atenderam ao chamado dos sindicatos e aderiram massivamente às mobilizações, deixando claro que não aceitarão a entrega das unidades.

Nos terminais da Transpetro, que também estão na lista de privatização, houve mobilizações em várias unidades do país, bem como em outras refinarias e demais unidades do Sistema Petrobrás, onde os trabalhadores estão reafirmando que essa é uma luta de toda a categoria e que não há salvação individual. O golpe atinge a todos e só há saída coletiva para essa situação caótica que vive o país.

“O Brasil e os trabalhadores estão pagando a conta amarga do golpe que foi dado em nossa democracia e que está ferindo de morte a nossa soberania nacional”, afirma o diretor da FUP, Deyvid Bacelar, que é trabalhador da Rlam e coordenador do Sindipetro Bahia. 

“Os atos de hoje foram apenas o começo da guerra que temos pela frente contra Pedro Parente e os demais golpistas da direção da empresa e governo federal. As reuniões setoriais estão debatendo as formas de ação contra a privatização e logo em seguida serão convocadas assembleias para deflagrar uma grande greve por tempo indeterminado. Será o maior desafio da atual geração de petroleiros”, explica Mário Dal Zot, presidente do Sindipetro PR/SC e petroleiro da Repar.

“Mais do que nunca, agora é a hora de resistência, da unidade e da construção de uma grande greve, maior que a realizada em 1995, para barrar todas as tentativas desse governo entreguista”, afirma Fernando Maia, diretor da FUP, operador da Refap e presidente do Sindipetro-RS, que também é trabalhador da Refap. Ele lembra que os trabalhadores da refinaria lutaram mais de dez anos para reverter a privatização de FHC e não irão permitir que isto se repita. 

Rumo à greve

Entre os dias 30 de abril e 12 de maio, os sindicatos realizam assembleias para que a categoria petroleira se posicione sobre o indicativo de aprovação de uma greve nacional por tempo indeterminado, com data a ser definida pela direção da FUP. O indicativo foi definido durante o Conselho Deliberativo realizado no dia 12 de abril, em Curitiba. Só com uma reação contundente e coletiva, os petroleiros conseguirão estancar as privatizações no Sistema Petrobrás e as retiradas de direitos dos trabalhadores próprios e terceirizados.

 

 
rlam2 rlam repar3 repar repar2 es2 es3 es sp8 sp7 sp6 sp5 sp4 sp3 sp2 sp 20-04-REGAP

A Diretoria Colegiada do Sindipetro-NF estará reunida nesta sexta, 20 para deliberar sobre assuntos de interesse da categoria petroleira. Por esse motivo a diretoria não estará presente nas bases, terminais e nem nos aeroportos. Na pauta também a conjuntura política e o corte de direitos.

Caso necessitem fazer alguma denúncia, ligar para as sedes do Sindipetro-NF em Macaé ou Campos.

Imprensa da FUP - Foi lançado na noite de quarta, 18, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro o livro “Se é público é para todos”, editado pelo Laboratório de Políticas Públicas, com apoio da FUP e da Fenae. O organizador da obra, o sociológo Emir Sader, comandou a cerimônia de autógrafos, ao lado do petroleiro João Antônio de Moraes e da bancária Rita Serrano, que participam da edição.

O livro foi lançado ao final da aula inaugural da disciplina “O Golpe de Estado de 2016 e o Futuro da Democracia no Brasil', do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH).

A obra reforça a importância das empresas estatais para o desenvolvimento nacional, através de textos que resgatam a trajetória de resistência da classe trabalhadora e da sociedade organizada contra o desmonte da Petrobrás, do Sistema Eletrobrás, da CEF e de outros bancos públicos.

Um dos capítulos é dedicado aos sucessivos ataques sofridos pela Petrobrás, ao longo de sua história.

Saiba mais: https://goo.gl/JaVnDr

 

O Sindipetro NF conquistou mais uma suspensão do pagamento do equacionamento para os filiados residentes em Macaé. Para ampliar a área de abrangência, os mesmos processos também foram distribuídos em Campos e Rio das Ostras.

Desde Setembro de 2017, o Sindicato ajuizou ações com os objetivos da revisão do aumento dos descontos, e da suspensão dos mesmos enquanto não fosse debatido o tema. Na segunda Ação Civil Pública conseguiu a liminar da tutela de urgência mas, infelizmente, por decisão da juíza - que o jurídico do NF discorda - valeu só para os sindicalizados domiciliados no município do Rio de Janeiro.

O NF continuará na luta para ampliar as áreas de abrangência, por isso é importante que os trabalhadores continuem a participar das reuniões de esclarecimento. 

A diretoria do Sindipetro-NF realiza na manhã desta quinta, 19, um ato em frente à sede da Halliburton em Macaé contra a demissão de três trabalhadores que participaram da greve de 2017. A atitude da empresa descumpre um Acordo realizado em mesa com o sindicato, de que não haveria demissões enquanto estivessem sendo negociados os pagamentos das folgas suprimidas.
 
O NF repudia tal ação da gestão da Halliburton de ataque à organização da categoria. "A empresa está rompendo um acordo feito em mesa e nós não podemos aceitar isso. Ainda mais que a empresa está demitindo e contratando outros para substituir" - comenta o Coordenador do Setor Privado, Wilson Reis.  

As demissões aconteceram no dia 10 de abril, no meio de um processo de criação de um Grupo de Trabalho que tem 120 dias para buscar uma solução para a questão das folgas suprimidas, motivo da greve de 2017.

A greve

Os trabalhadores do setor de WP da Halliburton, realizaram 12 dias de greve em 2017. Entre as principais reivindicações estavam o pagamento do Dia de Desembarque, compra de 10% de dias acumulados, fim do banco de horas, reajuste/revisão anual do bônus, alteração na nomenclatura do bônus e promoções, que a categoria não recebe há cinco anos.

 

No dia 16 de abril aconteceu a segunda mesa de negociação com a empresa Oiltanking, onde foram discutidos alguns pontos da proposta apresentada pelos trabalhadores em setoriais. A empresa se comprometeu a enviar uma contra proposta ainda esta semana.

Uma nova rodada de negociação está marcada para o dia 2 de Maio, às 14h,  na sede do sindicato em Campos. A data base da categoria é janeiro e os trabalhadores querem unificar os acordos da Logística e Serviços.

Conheça as principais propostas dos trabalhadores: 

PISO - R$ 3.682,67

REAJUSTE - reajuste do ICV/DIEESE acrescido de ganho real de 3%

VALE ALIMENTAÇÃO - R$ 700,00 (setecentos reais) por mês, mediante crédito efetivado diretamente em cartão magnético de cada empregado.

REFEIÇÃO - valor de R$ 33,00 (trinta e três reais).

CESTA DE NATAL - valor aproximado de R$ 250,00 (duzentos e cinquenta reais) no mês de dezembro e sem ônus para os empregados

TRANSPORTE - Será incluído o trajeto de Cajueiro a Portaria Toil na hora in itinere dos empregados da OILTANKING AÇU SERVIÇOS LTDA e OILTANKING LOGÍSTICA BRASIL LTDA.

PLANO DE SAÚDE E ODONTOLÓGICO - implantação de planos de saúde e odontológico em favor de seus empregados em atividade, por empregado, na modalidade definidas pelas EMPRESAS e por elas custeadas.

TURNOS DE REVEZAMENTO - Durante a vigência do presente Acordo, será pago, mensalmente, aos trabalhadores em turnos ininterruptos de revezamento (quando assim houver), um percentual fixo de 32,5% (trinta e dois vírgula cinco por cento), sobre o salário-base do mês em vigência.

ABONO - abono mensal de 1 % ( hum por cento) retroativo a janeiro de 2017, para compensar o reajuste salarial não concedido no ano de 2016.

PLANO DE CARREIRA - implementar plano de carreira, onde cada nível que será estabelecido, observando um reajuste mínimo de 30 % sobre o salário base.

PLR - independentemente de haver ou não lucro, equivalente a 150% (cento e cinquenta por cento) dos salários-base respectivos, isto é, a 1 salário base e meio (1,5) de cada empregado.

 

Imprensa da FUP - Com apoio da FUP e da Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal),  está sendo lançado em várias regiões do país o livro “Se é público, é para todos”, uma coletânea de textos sobre as diversas tentativas de desmonte de empresas estatais, como a Petrobrás, o Sistema Eletrobrás, a CEF  e outros bancos públicos, reforçando a necessidade de defesa desse patrimônio que é de todos. Organizada pelo sociólogo Emir Sader, a obra ganha importância ainda maior nessa conjuntura de golpe, em que o governo ilegítimo de Michel Temer está entregando mais de 200 bens públicos, no maior escândalo de privatizações da história do país. 

O livro dá sequência à campanha “Se é público, é para todos”, lançada em 2016 pelo Comitê Nacional de Defesa das Empresas Públicas e Estatais, e conta com um capítulo dedicado à história da Petrobrás, os ataques contra a empresa e a trajetória de lutas e resistência dos trabalhadores e da sociedade organizada em defesa do petróleo e da energia como bens públicos. O ex-coordenador e atual diretor da FUP, João Antônio de Moraes, é o autor dos textos que integram as 37 páginas do capítulo, onde ele também aborda as disputas em torno da Eletrobrás e do Sistema Elétrico. A obra reúne outros três ensaios, com textos de Emir Sader, do economista Fernando Nogueira da Costa e da bancária Rita Serrano, coordenadora do Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas e Estatais. 

Lançamento nesta quarta, 18

O livro “Se é público, é para todos” já teve um pré-lançamento no último dia 13, na sede social do Sindicato dos Bancários do ABC, será lançado nesta quarta-feira, 18, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Uerj, durante a aula inaugural da disciplina 'O Golpe de Estado de 2016 e o Futuro da Democracia no Brasil', do Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH) e o Laboratório de Políticas Públicas (LPP). O evento terá início às 18h30, no Auditório 11 da Universidade, com presença dos autores e do organizador da obra, o sociólogo Emir Sader.

Como adquirir o livro 

Frente a vários pedidos já recebidos, o Comitê Nacional em Defesa das Empresas Públicas informa que o livro ´Se é público, é para todos´ pode ser adquirido pelos Correios, ao custo de R$ 20,00, mais as despesas com a remessa. Quem tiver interesse deve enviar por e-mail nome e endereço completos para  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  para receber os dados da conta bancária para depósito. A publicação não será comercializada em livrarias e o valor obtido com as vendas será revertido para suporte da campanha “Se é público, é para todos´. 

Outra opção de garantir o livro é participando dos lançamentos que ocorrerão em abril e em maio, em várias regiões do país. Confira as datas e locai:

18/04 – Lançamento integra Aula Inaugural da Disciplina O Golpe de Estado de 2016 e o Futuro da Democracia no Brasil- PPFH/LPP/UERJ - Campus do Maracanã - Auditório 11 - 18h30. 
20/04 – Congresso Estadual da Caixa Econômica Federal – Hotel Praia do Sol - Nova Almeida - Espírito Santo 
21/04 – Inspira Fenae – RJ – Hotel Windsor Oceânico – Rua Martinho de Mesquita, 129, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro 
24/04 – Lançamento no Sindicato dos Bancários de Pernambuco. 19h+ 
26/04 – Lançamento em atividade da FUP – Rio de Janeiro (local a definir) 
04/05 – Lançamento no Encontro Estadual dos Bancários do Piauí (local a definir) 
08/05 - Congresso Nacional, Brasília, auditório Nereu Ramos, a partir das 9h

 

Imprensa da CUT - O trabalhador Vandson Milton da Silva sofreu um acidente gravíssimo no setor de prensas da Jeep, em Goiana, na Região Metropolitana de Recife, e morreu nesta segunda-feira (16) a caminho do hospital. Ele tinha 23 anos, era casado, morava em Caetés e trabalhava no setor de prensas da Jeep há um ano e sete meses.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Pernambuco,  Henrique Gomes, o trabalhador foi atingido pelo "Stamp" – espécie de contêiner de 5 metros de altura e cerca de 70 quilos, cuja função é transportar os moldes que serão utilizados pelo equipamento de montagem – e foi arremessado a metros de distância. Vandson chegou a ser socorrido e encaminhado para o Hospital Memorial de Goiana, mas já chegou morto. Os trabalhadores disseram que ele teve uma parada cardíaca.

“É grande a preocupação dos trabalhadores do polo automotivo com os riscos de acidente”, disse Henrique Gomes.

"Os trabalhadores da Jeep já fizeram várias denúncias de que estão trabalhando no limite de sábado a sábado. E o lema é produção, produção e produção, com muita pressão, humilhação, opressão, assédio moral e até palavras de baixo escalão de alguns chefes despreparados”, denunciou o dirigente.

Ele também denunciou a falta de treinamentos para que os trabalhadores exerçam funções que não são de sua competência e informou que o sindicato acionou o Ministério do Trabalho (MTE), pedindo a intervenção imediata do local onde ocorreu o acidente. 

“O local tem de ficar fechado até ser feita a apuração dos fatos. Também vamos denunciar a fábrica no Ministério Público do Trabalho (MPT)”, diz Henrique que lamenta o acidente fatal e diz que o sindicato dará toda assistência e solidariedade aos familiares.

Em nota, a empresa Fiat Chrysler Automobiler (FCA) lamentou o ocorrido e disse que desde a inauguração da unidade no estado, em 2015, não era registrado um acidente fatal. A direção da empresa disse, ainda, que está prestando assistência à família do funcionário e irá investigar as causas do acidente.  

Confira a nota na íntegra:

A FCA confirma a ocorrência de acidente de consequências fatais em sua planta de Goiana, Pernambuco. A empresa prestou imediata assistência ao colaborador acidentado e o removeu a Hospital Memorial de Goiana, para continuidade dos socorros necessários.

A empresa está assistindo à família do colaborador. O acidente ocorreu na área de apoio a prensas, em que são movimentados os moldes a serem utilizados pelo equipamento. Trata-se de área que conta com normas operacionais e procedimentos de segurança muito rigorosos. Todos os operadores são capacitados com treinamento com foco na segurança operacional.

A empresa é certificada pela norma internacional de segurança e saúde OHSAS 18001 e adota protocolos rigorosos de segurança do trabalho. Jamais ocorreu acidente fatal desde a inauguração da planta em abril de 2015. A empresa está investigando as causas do acidente e alertou todos seus colaboradores para a necessidade do estrito cumprimento das normas de segurança.

A empresa lamenta o ocorrido e expressa sua solidariedade a todos os colaboradores e familiares.

Fiat Chrysler Automobiler

Pagina 1 de 770

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700