Nascente 996



 

EDITORIAL

Estejamos preparados

Se há um lado positivo nesta instabilidade política em que a Direita mergulhou o País, ao não aceitar o resultado das eleições presidenciais de 2014 e ao aproveitar a sua maioria no Congresso para empreender um golpe parlamentar em 2016 e iniciar uma agenda de cortes sociais, é o de que os trabalhadores, mais do que nunca, percebem o gigantismo das forças conservadoras que precisa enfrentar para manter e ampliar direitos.

Passados quase 130 anos da abolição da escravatura no Brasil, o País ainda tem traços escravocratas fortíssimos, e eles se acentuam nos momentos de crise e explicitação do conflito de classes, quando a elite desabridamente se coloca em campo para defender os seus privilégios e a sua hegemonia.
Está nítido que, mesmo com toda a sua fragilidade, há um pacto da maioria no congresso e do setor financeiro em manter Mishell Temer no poder para tocar as reformas trabalhistas e previdenciária.

O momento, portanto, é de não esmorecer no enfrentamento aos golpes contra os trabalhadores. Mesmo contra forças brutais, que contam com ampla maioria política, simpatia da grande mídia e afinidade ideológica na maior parte do Judiciário, é preciso lutar sem cessar, seja pelos direitos atuais, seja pelas gerações futuras, ou até mesmo em respeito a tantos lutadores anteriores que dedicaram as suas vidas à busca por direitos e justiça social.

Manter um estado de atenção para não cair na armadilha do cinismo, do individualismo ou da apatia, é uma tarefa política e ética de todo trabalhador e trabalhadora neste cenário de batalhas constantes.
Os próximos dias continuarão a ser de pluralidade nos debates, mas de unidade na ação, para derrotarmos um inimigo comum que quer impor exploração e precarização do trabalho.

Dia 30 voltaremos a ter Greve Geral no País. Estejamos preparados.


ESPAÇO ABERTO

Defendo a liderança das mulheres*

Junéia Martins Batista**

Alguns dias após a eleição da primeira mulher ao maior partido de esquerda da América Latina a conclusão que eu chego é que as mulheres precisam ocupar todos os espaços de poder hoje majoritariamente ocupados apenas pelos homens. Não importa a classe social, não importa o espaço onde as mulheres estejam. Elas sempre precisam pedir a benção a um ou outro cacique para sobreviver nos espaços. Tem que subir aos céus, ou descer aos infernos! Enquanto as mulheres continuam sendo sub-representadas quando o assunto é salário, posições nos locais de trabalho, no parlamento, nas grandes corporações, sejam elas a serviço do capital ou da classe trabalhadora, mesmo que estas saibam tanto quanto ou mais do que eles.

Eles não admitem!!! Não se conformam! Querem colocar-nos dentro do molde. Que fiquemos quietinhas no "nosso lugar" senão não vamos ganhar o doce. Como se fossemos crianças em formação. Assim somos vistas. Somos vistas ou encaradas como seres inferiores, que não têm capacidade de raciocínio e organização, só servimos pra fazer o supermercado, pagar contas, arrumar a casa, levar e buscar os filhos/as na escola ou aos serviços de saúde e até ser uma boa parceira sexual, senão não seremos consideradas suficientemente boas nessa divisão social e sexual do trabalho. Uma das principais justificativas ideológica para a divisão sexual do trabalho é a naturalização da desigualdade em que empurra para o biológico as construções sociais e as práticas de homens e mulheres. Até quando?
Que a direita tenha esse comportamento às mulheres que são de direita que briguem, que lutem! Nós mulheres da esquerda já nascemos na luta e não será qualquer homem que nos calará, que nos dará a linha do que podemos ou não dizer ou fazer. Defendo o empoderamento das mulheres pra que possamos dizer que, enfim, vivemos num mundo equânime.

* Editado em razão de espaço. Versão original publicada no portal da CUT, em bit.ly/2sknndA. **Secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CUT.


GERAL

Política assassina faz mais vítimas

A categoria petroleira está em luto e, ao mesmo tempo, indignada e disposta à luta, em razão das mortes de três petroleiros em decorrência de explosão em uma caldeira, na última sexta, 09, no navio sonda NS-32 (Norbe VIII), afretado pela Odebrecht, que opera na Bacia de Campos. Eduardo Aragão de Lima, 33 anos, Erickson Nascimento de Freitas, 29 anos, e Jorge Luiz Damião, 44 anos, são as mais recentes vítimas fatais do descaso empresarial com a segurança dos trabalhadores. A tragédia deixou ferido o petroleiro Fernando Garcia, que passou por tratamento no Hospital Público de Macaé e recebeu alta médica.

Para a diretoria do Sindipetro-NF, esse caso, assim como outros, não podem ser minimizados. Três vidas foram levadas, por conta da forma irresponsável como são tratados os trabalhadores e a trabalhadoras do setor petrolífero. As empresas agem como se seres humanos fossem apenas meros números e obstáculos ao lucro da elite brasileira e mundial.

“Deixamos aqui o nossos mais sinceros sentimentos a todos e todas familiares, parentes, amigos, colegas e conhecidos de Eduardo, Jorge e Erickson, que foram assassinados por uma gestão desumana empregada pela Petrobrás e outras tantas empresas do ramo. O departamento de saúde, através da assistência social, está empenhado em acompanhar os casos de perto para, de alguma maneira, tentar ajudar àqueles que sentem mais essa perda para a classe trabalhadora brasileira”, registrou a entidade em seu site.

O diretor Valdick de Oliveira embarcou no NS-32, representando o sindicato na comissão de análise do acidente, uma garantia do Acordo Coletivo de Trabalho.

P-35 e P-54

Na mesma semana em que a categoria velava os mortos do NS-32, dois outros casos gravíssimos confirmaram as consequências nocivas do desmonte do sistema Petrobrás. No domingo, houve um princípio de incêndio na P-35, no reaquecedor do sistema de gás combustível da planta de glicol, e foi debelado com mangueira, logo após o alarme de emergência ser acionado. Felizmente não houve feridos.

Na segunda, 12, cinco trabalhadores ficaram à deriva, após terem problemas com o bote de resgate da P-54, durante um teste. A embarcação de resgate foi acionada por volta das 10h para socorrer os tripulantes, que ficaram mais de duas horas à deriva e só retornaram para a plataforma às 13h. Apesar de não ter deixado feridos, o caso é considerado de alto risco, pois o fato tinha grande potencial para causar danos físicos nos tripulantes, além de provocar danos psicológicos nos envolvidos.


Assembleias hoje em bases de terra

Os petroleiros da Bacia de Campos estão em período de assembleias desde o final de semana para eleição de delegados e delegadas ao 13º Congresso dos Petroleiros do Norte Fluminense. Nas plataformas e UMS, as assembleias podem ser feitas até a quinta, 15, com retorno de atas até às 12h da sexta, 16. Nas bases de terra e sedes do sindicato, as assembleias começaram na segunda e terminam hoje.

A escolha dos delegados e delegadas que representarão as bases e unidades marítimas é o primeiro passo da Campanha Reivindicatória. Eles é que terão a responsabilidade de discutir o cenário brasileiro, a conjuntura da Petrobrás, as estratégias de luta e propostas para a pauta de reivindicações que será entregue à companhia.

O 13º Congrenf será realizado na sede do Sindipetro-NF, em Macaé, entre os dias 26 e 28 de junho, e terá como tema "Diretas por direitos". Além de discutir a conjuntura nacional de cortes de direitos trabalhistas e previdenciários, assim como o desmonte da Petrobrás e do setor público brasileiro, o evento vai eleger delegados e delegadas ao Confup (Congresso da Federação Única dos Petroleiros), que neste ano elege nova direção para a FUP em um momento crítico da vida nacional.

Participação da mulher

O Sindipetro-NF destaca que é importante estimular a participação das petroleiras nas assem-bleias e na ocupação de vagas de representação no Congresso. Pela primeira vez, haverá cota feminina (de 17%) na delegação ao Confup e na diretoria da FUP.

Base Data Hora Nº del

UTGCAB Quarta, 14 7h 07

Sede de Campos Quarta, 14 10h 10

Edinc Quarta, 14 13h 04

Plataformas e UMS - Até quinta, 15, com retorno de atas até às 12h da sexta, 16 (02 titulares e 02 suplentes para cada plataforma 01 titular e 01 suplente para cada UMS).

Assembleias já realizadas: Imbetiba (15 del), Parque de Tubos (06), Sede de Macaé (10),

 

Condenação por punição na UTGCAB

O Departamento Jurídico do Sindipetro-NF informou nesta semana que, no último dia 6, a Transpetro foi condenada pela 1ª Vara do Trabalho de Macaé ao pagamento de indenização aos trabalhadores do Grupo C do Terminal de Cabiúnas. Estes trabalhadores sofreram perseguições e punições em razão da adesão à paralisação realizada em 24 de julho de 2015.

O sindicato entrará em contato com trabalhadores, além de divulgar em suas mídias mais informações sobre como será feita a relação de todos os trabalhadores do grupo. Os valores devidos serão apurados em execuções individuais, como foi definido pelo magistrado responsável pelo caso.

A empresa ainda pode recorrer da decisão. O processo pode ser acompanhado pelo número 0011866-43.2015.5.01.0481.

Vitória política

Para o diretor do Sindipetro-NF, Cláudio Nunes, que é lotado na base de Cabiúnas, esta é uma importante vitória política da categoria, pois mostra que a mobilização é a verdadeira arma dos trabalhadores e que não pode ser impedida por atitudes arbitrárias dos gestores.

O sindicalista lembra que esta reafirmação da legitimidade da mobilização dos trabalhadores é essencial para seguir lutando em outras frentes, com a que envolve a cessão de trabalhadores da Transpetro.


Categoria mobilizada no País

Da Imprensa da FUP

Os trabalhadores da Petrobrás que atuam na área de refino estão aprovando greve por tempo indeterminado contra a redução dos efetivos na operação. A greve, cuja data será anunciada ainda pela FUP, já foi aprovada na Refap (RS) por mais de 90% dos trabalhadores. O mesmo vem acontecendo na Replan (SP), na Reduc (RJ), na Reman (AM) e na Repar (PR), onde as assembleias estão aprovando por ampla maioria a adesão ao movimento. Na Recap (SP), na Abreu e Lima (PE), na Rlam (BA), na Regap (MG) e na Lubnor (CE), as assembleias começaram ontem.

Na próxima segunda, 19, data da reunião da Comissão de SMS, os petroleiros farão um esquenta da greve, com uma grande mobilização nacional por condições seguras de trabalho, envolvendo toda a categoria, em todo o Sistema Petrobrás. A redução de efetivos é reflexo direto do desmonte que a empresa vem sofrendo nos últimos anos e que foi potencializado pela gestão Pedro Parente, com a privatização de unidades e um plano de negócios que reduz drasticamente o papel da companhia no setor de energia.


Hora de votar 47 e 51 na Petros

Da Imprensa da FUP

Começou na segunda, 12, a eleição para os Conselhos Deliberativo e Fiscal da Petros. A votação prossegue até o dia 26 de junho. É importante que todos os participantes da ativa, aposentados e pensionistas se informem para escolherem representantes comprometidos com a defesa da Petros, pois o que está em jogo é o presente e o futuro do fundo de pensão da categoria.

A votação poderá ser pela internet, no Portal Petros, ou por telefone. Será eleita uma dupla de titular e suplente para cada um dos Conselhos, com mandato de quatro anos.

Ao todo, seis chapas disputam a vaga do Conselho Deliberativo e outras três pleiteiam a cadeira do Conselho Fiscal. As duplas apoiadas pela FUP e por seus sindicatos, assim como pelo Conselho Nacional de Aposentados e Pensionistas, são a de número 47 - que disputa a vaga do Conselho Deliberativo, com os petroleiros Rafael Crespo (NF) e André Araújo (BA) - e a de número 51, que concorre ao Conselho Fiscal, com os petroleiros Arthur Ferrari (RJ) e Fernando Maia (RS).

Internet e ou telefone

Todos os participantes ativos e assistidos da Petros poderão votar pela internet, no Portal Petros, ou por telefone.

Pelo portal www.petros.com.br, basta acessar a Área do Participante, com login e senha, clicar no banner das eleições e confirmar o voto, fornecendo CPF ou data de nascimento.

Quem preferir votar por telefone, será disponível ligação gratuita pela 0800 602 7550. O participante precisará de uma senha específica que será encaminhada pela Petros por e-mail ou pelos Correios para o endereço que consta em seu cadastro.


CURTAS

Imposto sindical

O Sindipetro-NF decidiu prorrogar o prazo para a solicitação da devolução do Imposto Sindical. Os sindicalizados terão até domingo, 18, fazer o pedido pelo link disponível no site da entidade. Os trabalhadores do setor privado terão que encaminhar por e-mail a cópia do contracheque com o desconto para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . O NF segue orientação e princípio da CUT e devolve a parte que lhe caberia do imposto sindical, que é 60% do que é recolhido.

Baker/BJ 1

Em assembleia realizada na segunda, 12, os trabalhadores e trabalhadoras da Baker/BJ decidiram aprovar o acordo proposto pela empresa. A proposta definiu o reajuste de 7,5% para o ACT 2016/17 e de 4,58% para o ACT 2017/18, índices abaixo da inflação acumulada nos dois anos medida pelo ICV Dieese, causando perda de 0,42%.

Baker/BJ 2

O Sindipetro-NF indicou rejeição da proposta da Baker/BJ por acreditar que, apesar da conjuntura difícil que vivemos, é inadmissível que a classe trabalhadora perca direitos enquanto a elite política e econômica do país mantém privilégios. Apesar da indicação do sindicato, a maioria dos presentes, democraticamente, entendeu que deveria aprovar a proposta formalizada pela empresa.

NR Plataformas

Grupo que discute a NR das plataformas, reunido ontem e hoje, no Rio, conta com a participação dos diretores Sérgio Borges e Norton Cardoso, do NF. Também participam Vitor Carvalho (FUP), Itamar Sanches (CNRQ) e Robson Leme (Nova Central). O representante da SRTE iniciou os trabalhos com uma mensagem em memória das vítimas do acidente da NS-32.


NORMANDO

Que saudade do meu ex

Normando Rodrigues*

Talvez muitos já tenham tomado conhecimento da página em redes sociais, cujo título hoje usamos. Boa iniciativa de jovens criativos. Mas venho ao tema para falar de tratamentos.

Ao longo das quadras em que vivemos se tornou evidente o quanto os meios de comunicação se deram sucessivamente ao abandono das reverências e respeito maiores. Por exemplo, no compasso da banalização da violência e morte, não existem mais cadáveres, mas corpos, quando não “presuntos”. E não mais sepultados, mas simplesmente “enterrados”.

O que não muda, descaradamente, é o tratamento conforme ao papel do protagonista noticiado, e sua posição como representante do Partido da Imprensa Golpista, ou dele adversário. Vejamos a história do “Ex”.

Há muitas décadas é comum chamar o antigo ocupante de cargos de destaque sem o prefixo “ex”. Trata-se de uma cortesia que remete à consagração da memória, e ao pertencimento à história, tal como no acervo do Palácio do Planalto (bit.ly/2rWQanG), do Senado (bit.ly/2rnrQwF) e do Supremo Tribunal Federal (bit.ly/2s72PTI).

Isso mudou quando Leonel Brizola deixou de ser governador do Rio de Janeiro, em 1987. A partir daí, para a Globo, o gaúcho passou a ser “Ex-Governador”, enquanto em qualquer matéria sobre Carlos Lacerda, Negrão de Lima ou Marcelo Alencar, era empregado o “Governador”.

Muito depois passou-se a reduzir o tratamento histórico à pessoalidade de entrevistas, predominando na forma escrita o “Ex”.

Porém, a nossa querida Direita escravagista, obscena e elitista, fez por colocar o prefixo “Ex” no centro da disputa política.

Assim foi que na campanha de 2014 tornaram-se comuns as agressões verbais de iracundos seguidores daquele Senador pelo Leblon que, apaixonados por sua “brilhante carreira”, e pelos hábitos de mandar matar delatores e de bater em mulheres, julgavam ser crime hediondo tratarmos Lula como “presidente”, e não como “Ex”.

Como escreveu o professor Flávio de Castro (bit.ly/1SpZgSc), a perseguição a Lula “é estética”. Admitem-se, para os príncipes, quaisquer comportamentos. Para o torneiro mecânico basta um “Ex”. E olhe lá!
Contudo, eis que surge o momento do “Ex”. Mais de 14 milhões de desempregados começam a descobrir que a culpa não é do ex, e a saudade brota em seus corações.

A Direita faz tanta questão do “Ex” que ele voltará.

*Assessor jurídico do Sindipetro-NF e da FUP. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Avalie este item
(0 votos)

Sede MacaéMacaé

Rua Tenente Rui Lopes Ribeiro, 257 Centro - CEP 27910-330 Telefone: (22) 2765-9550

Sede CamposCampos

Av. 28 de Março, 485 Centro - CEP 28.020-740 Telefone: (22) 2737-4700